sexta-feira, 30 de junho de 2017

Crimes x Natureza

DELITOS CONTINUADOS CONTRA A NATUREZA
 João Joaquim  
 Se todos os governantes pensassem mais  com a razão e menos  com a emoção, todos eles, indistintamente, se preocupariam mais e investiriam mais na natureza. Preservar o que o planeta tem, ao natural e graciosamente, ainda é o melhor investimento que os homens podem fazer. Para a própria terra e todos os seus terráqueos, aí incluídos os viventes vegetais e animais.
Eu tenho acompanhado com uma certa preocupação e pitadas de desconfiança e ceticismo o que se tem feito com os nossos bens naturais. Desses bens, os que nos trazem mais desassossego são os vegetais, matas e florestas. Será que estamos condenados a ter ao invés de tapetes e cenários verdes enormes campos áridos e desérticos como os já vistos pelo nordeste brasileiro?
As taxas de desmatamento e descampados têm aumentado de forma preocupante. A especulação econômica capitaneada por empresas madeireiras e pecuaristas têm sido uma constante desses crimes ambientais.
A Amazônia, mata atlântica e florestas do cerrado têm sido as principais vítimas desses predadores de bens naturais. O Ibama, órgão estatal dessa fiscalização, tem sido pouco eficiente nesse controle e rigor punitivo. E assim o faz de forma deficitária não por inaptidão e incompetência em seu múnus público. Ele na verdade tem sido insuficiente, dada a extensão territorial do país. São vastidões de terras e matas com poucos fiscais no seu cuidado diário.
Verdade seja dita que, volta e meia, surgem agentes corruptíveis e corrompidos por fazendeiros e outros traficantes de madeiras e outros bens. Fatos esses os mais encontradiços nas relações público-privadas do Brasil. Que o atestam agora, mais do que nunca, as delações de fim de mundo e do Brasil, dos ex executivos da empreiteira Odebrecht e da JBS.  Essas megaempresas fizeram com o país a parceria público-privada (PPP) mais lucrativa do mundo. Mais lucrativa e rentável para o lado privado. Para eles traficantes de políticos e  politicas públicas, no seu interesse e no interesse desses corruptos, travestidos de gestores da coisa pública.
Outra questão ambiental que tem crispado as expressões e deixado os ambientalistas de pelos eriçados se refere aos rios e outros mananciais aquíferos. Os desmatamentos e perda de matas ciliares já trazem perdas e danos irreparáveis de córregos e rios.
Outro fator de muita gravidade são os resíduos, descartes e produtos químicos das mais diversas indústrias. E nesse quesito o próprio ente estatal (união, estado, município) tem sua parcela de omissão e conivência( cumplicidade) com pouca fiscalização e punição aos poluidores. Ao que parece, o alvará permissivo para esses agressores do  ambiente são o recolhimento de impostos para os cofres públicos. Pagos os impostos tudo se torna permitido aos poluidores e sujismundos da natureza, rios e mares.
Tributos nada baratos, em se falando de Brasil. Outro face cruel quando se fala em agressão ambiental se refere a nossa fauna. Quantas espécies de animais já extintas e outras em risco de sê-lo pelas ações predatórias, virulentas e destrutivas das pessoas. Sejam esses atos de forma individual, coletiva ou de grupos empresariais.
Enfim, todo tipo de devastação e ações deletérios do meio ambiente não se dão de forma seletiva. Sejam expedientes nocivos aos rios, florestas e aos animais, eles são interdependentes, tem graves danos ao planeta e ao próprio gênero humano.
Agora, imagine bem! Veja se isso cabe na inteligência mais tacanha! O homem lesar, poluir, emporcalhar a terra, os rios e mares, de onde ele extrai o próprio sustento. Me explique! Não tem base! São atitudes de uma horda de gente imbecil e abilolada, para não dizer aloprada, como já se referia o ex presidente Lula, de seus irmãos camaradas e idiotas. Só podia ser! Arre!

Nenhum comentário: