sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

ARTIGOS (05) NOV/DEZ-2014



A NOBREZA E SACERDÓCIO DA PROFISSÃO MÉDICA
João Joaquim 

 Todas as profissões podem ser muito, pouco ou nada humanas na medida em que os seus agentes (profissionais) se fazem passar por pessoas muito, pouco ou nada humanas. Pode até sugerir um paradoxo ou nonsense esta locução “pessoa humana”. Mas, o sentido é figurado. Há indivíduos tão maniqueístas, tão egoístas, tão autômatos nas suas relações sociais (sociais?) que sua formação e conduta parecem ser destituídos dos atributos humanos; quais sejam a fraternidade, a gentileza, o respeito ao outro (ou diferente), a compaixão, a humildade; enfim sem tantos sentimentos e virtudes, marcas  maiores de nossa humanidade.
Eu vou buscar o exemplo onde eu atuo, a medicina, pela vivência e experiência de três décadas. A medicina representa em campo de atuação, onde os profissionais que a escolhem deveriam fazê-lo por absoluta vocação e sacerdócio. É difícil fazer um estudo estatístico sobre o motivo desta escolha. Eu nunca vi alguma pesquisa a este respeito. Contudo, de forma empírica e por observação, posso afirmar com muita convicção que muitos médicos fizeram esta opção profissional levando em conta outros quesitos que não o vocacional.
Sem dúvida que o trabalho do médico ainda é revestido de muito glamour, de muita distinção social. Basta lembrar que por uma questão cultural, médico e advogado são chamados de doutor sem de fato deter esta formação acadêmica. Isto demonstra o quanto a sociedade cultua admiração e respeito pelo médico. Esta, sem dúvida, constitui um dos motivos de a medicina ser ainda uma das profissões mais procurada por nossa juventude.
Nos quesitos remuneração e retorno financeiro duas considerações a fazer. Em se tratando de serviço público, médico é tratado e pago como outro profissional qualquer. Para os gestores públicos, saúde e educação não geram muita visibilidade para o patrão (governo), não trazem muitos votos. Portanto, são profissões pouco valorizadas pelos políticos.
No âmbito privado o retorno financeiro vai depender da especialidade escolhida e qualificação profissional. Se o médico tiver uma ótima formação ética e técnico-científica em por exemplo cirurgia plástica, oftalmologia ou em exames de imagem de ponta, com certeza ele será muito bem remunerado na profissão.
Reporto-me à profissão como uma vocação e sacerdócio. Das várias profissões humanistas, eu tenho a medicina como a de maior relevo e nobreza. Basta realçar que ela envolve uma missão do cuidado, do amparo, da compaixão, do lenitivo, do alívio da dor, do consolo e da cura. Nada aproxima mais o médico de Deus do que dar saúde a outro homem, dizia Cícero (filósofo romano).
Independentemente de ter uma remuneração digna e justa o médico deve atender de forma ética e científica a todo paciente sob sua orientação; não importam os atributos físicos ou cívicos e sociais dessa pessoa. O compromisso maior do profissional de saúde deve ser com a saúde e vida do paciente. O bom médico nunca deve se considerar um heroi ou semideus , pelos seus feitos em remediar, aliviar a dor ou salvar o paciente. Vaidade e vedetismo são vícios de caráter que não  devem compor a postura profissional. A relação médico/paciente deve ser pautada sempre na cumplicidade e confiança mútua. A natureza e fisiologia de cada pessoa são  grandes aliadas em qualquer tratamento, e elas se revigoram nesta relação de confiança e respeito.  
Eu costumo, sempre que inquirido, dizer que me considero um médico privilegiado e abençoado por Deus e pelo destino. Sou pago para fazer o bem e ajudar da melhor forma possível os melhores pacientes, cercados dos melhores estudantes e dos melhores pares de profissão. Isto porque trabalho em um dos hospitais universitários dos mais humanizados de Goiás. O Hospital da Clínicas da UFG. Se ali carece de mais atenção dos gestores de saúde, de mais conforto na estrutura física e equipamentos médicos, não faltam o empenho, a dedicação, o amor , a melhor, a mais humana e  comprovada qualificação profissional e ética  de todos os membros das equipes de saúde.    

SOS ! EMBALDE ECOAM OS MEUS GRITOS DE SOCORRO
O que é mais assustador do que o espectro do colapso de uma civilização ? os restos dos templos abandonados de Angkor Wat, no território do Camboja, das cidades maias tomadas pela selva ou a vigília sombria das estátuas da ilha de Páscoa? A imagem dessas ruínas sugerem a pergunta: Será que isso também não pode acontecer conosco?- Colapso: Como as Sociedades Escolhem o Fracasso ou o Sucesso- Jared Diamond 
João Joaquim 


O Brasil todo vem acompanhando a crise de água que se abate em São Paulo , sobretudo na Capital. A reserva do lago de Cantareira chegou a níveis críticos ; algo em torno de 4% da capacidade total . 0 esgotamento desta fonte tão gigantesca que abastece a maior cidade do país nos motiva a algumas reflexões e perguntas .
Trata-se de tão sério problema que nos incita a repensar o papel e responsabilidade da humanidade nas questões  de sustentabilidade do planeta com seus recursos naturais os mais variados. A  depredação da vida animal e vegetal, das reservas ( finitas) hidrominerais, da agressão ao meio-ambiente, da intoxicação dos mananciais de aquíferos ; enfim , da destruição suicida lenta e gradual da terra. Até quando ?
Há de se perguntar, o que serão das gerações futuras ? 0 que estão deixando os adultos de hoje para os seus netos e bisnetos ? Talvez desertos sem vida como o Saara africano ou um Atacama chileno. Não duvidem desta profecia. A terra é um organismo vivo. E como tal ela precisa de cuidados. Todos os seus recursos naturais são limitados. A água é apenas mais destes recursos . Temos o mínimo  de água potável no planeta( 3% apenas da água total) própria para o consumo humano. O gênero humano perdeu a noção deste limite, deste respeito ao que temos de mais precioso,  como fonte de vida, de saúde.
Eu recomendaria para nossos ministros da Agricultura , das cidades e meio-ambiente uma obra magnífica: Colapso – Como as sociedades escolhem o fracasso ou o Sucesso – de Jared Diamond .
Como preconiza este notável pesquisador, nossos governantes deveriam ter uma visão não futurista mas,  do passado, e aprender com os erros de civilizações que fracassaram pelo desrespeito ao  meio-ambiente e à natureza onde estavam estabelecidas. Como exemplos os maias, os vikings, os nativos( íncolas ) da Ilha de Páscoa(Chile).
A crise hídrica vivida pelos paulistanos nos lembra a mesma escassez ocorrida na Califórnia (EUA). São Estados semelhantes no tocante a este bem natural. Lá o governo e gestores públicos solucionaram muito bem a questão através do incentivo ao uso racional da água e pesadas multas a quem descumprisse as diretrizes do poder público . Um exemplo a ser seguido de boa gestão nesse setor.  Vamos imitar a Califórnia Brasil !
Nós sabemos que são Paulo tem uma migração de cerca de 200.000 novos habitantes/ano. Fica a impressão de que o Estado não sabe lidar com tamanha flutuação populacional e imposição eficaz e racional no consumo de água , a exemplo do que sucede com os californianos.
Todavia, esta crise e falência da reserva de Cantareira na Capital bandeirante e outras cidades no interior do Brasil nos remete a outra questão que não é de responsabilidade de governos, nem dos gestores dos bens públicos e naturais. Referimo-nos ao comportamento perdulário do ser humano, à irresponsabilidade e insensatez das pessoas no usufruto deste e tantos outros bens e serviços da natureza, viabilizados pelo Estado. É o caso por exemplo da água , de energia elétrica e outras fontes de energia.
É inconcebível por exemplo uma família fazer a varrição de um quintal  ou calçadas usando mangueiras d’água . 0 mesmo ocorre com o emprego de energia elétrica . Fôssemos mais racionais e educados não precisaríamos do malquisto e inóspito horário de verão .
Chegamos a um estágio tão bestial de educação e costumes que em breve os governos irão começar o processo de potabilização (tornar potável )as águas de esgoto pra suprir a falta deste precioso bem natural . Em muitos lugares já se faz a dessalinização de água do mar.
Uma segunda alternativa ( à maneira da Califórnia) seria aplicar pesadas multas àqueles que atacados pelo excesso de egoísmo se julgam os únicos agraciados com água e energia elétrica .
Para estes que pouco uso fazem da razão e da massa cinzenta do cérebro  e agem como predadores só mesmo a força da lei , fiscalização e multas  por não seguirem as normas e bom senso de um  e outro bem natural que é público e de todos.
Para condensação de alerta sobre a água, não é demais reiterar  que a terra é um organismo vivo e que precisa de respeito , de cuidados de manutenção de sua sanidade. Nosso planeta anda doente e pede socorro .
Nosso majestoso e ainda azul planeta vem emitindo um SOS  há décadas . 0 esgotamento de muitas de suas fontes naturais como a água, as florestas, dos cardumes de peixes e extinção de alguns animais são graves sintomas de sua falência .
Nessa escalada predatória de suas fontes de tantos recursos graciosos, florestas e alimentos, a terra como sugere o Apocalipse está em risco de ser devastada  no futuro, não por um dilúvio , mas por lavas vulcânicas e tudo ser dizimado, sem uma pomba, sem nenhum sobrevivente que conte este fim trágico. O derretimento de geleiras glaciais, o aumento de temperatura a cada século , e o efeito estufa são indícios dessa tragédia . “ SOS, embalde ecoam os meus gritos de socorro ( planeta terra)”
João Joaquim – joaomedicina.ufg@gmail.com  articulista DM e médico WWW.jjoaquim.blogspot.com

 
OS BONS E OS JUSTOS VÃO SALVAR O BRASIL . EU ACREDITO
http://www.dm.com.br/jornal/#!/view?e=20141224&p=19
João Joaquim


 Diante de tanta gatunagem oficial, de tanta desfaçatez, de tanta desonestidade reinante neste nosso venturoso  e próspero Brasil, seria esperado e natural a perda de esperança de salvação para o nosso país. Os crimes e pecados têm se tornado tão  deslavados e banalizados que há  momentos em  que as pessoas de bem exclamam: é! não tem jeito mesmo, está tudo perdido! A devassidão, a falta de honradez, a cooptação dos poderes têm sido tornado tão patentes em nosso cenário público e político que me vem à memória a descrição bíblica de Sodoma e Gomorra. Narra as sagradas escrituras( antigo testamento) que a libertinagem, o pecado e a degradação moral e ética nessas cidades chegaram a tão baixo nível que Deus não viu outra solução que não exterminar a todos através do fogo. Foram salvos apenas a família de um homem justo e honesto e alguns dos seus  filhos.
Gêneses 19-4-8 “  Ferindo com cegueira os homens que estavam junto à porta da casa de Ló, os anjos retiram o patriarca e sua família da cidade e lhes dá a ordem de seguirem sempre em direção às montanhas sem olharem para trás. A mulher de Ló desobedeceu a ordem dada pelos anjos e olhou para trás e foi transformada em estátua de sal. Então, de acordo com o  Gênesis, inicia-se a destruição de Sodoma e de toda a planície daquela região com fogo e enxofre”
Eu imagino que Deus na sua infinita misericórdia, sapiência e compaixão não irá fazer isto com o nosso querido Brasil em consideração  aos muitos justos espalhados pelos rincões de nossas terras. Agora uma coisa Deus já tem ciência, se for carbonizar o Brasil para exterminar tamanha podridão e baixaria nosso petróleo não vai dar. Os estoques de combustíveis estão sendo exauridos pelos gatunos e larápios da Petrobras. Talvez o combustível do pré-sal poderia ser usado em tal proeza, pedindo permissão ao ex-presidente Lula .  
Motivos para pessimismo não faltam. Não há um só dia que se vê e lê os noticiários sem um fato novo de roubalheira, de suborno e corrupção. O impactante dos fatos é que não se trata de milhares, mas milhões de dólares . Nossa moeda, nessas escabrosas histórias, tem até perdido a importância. Fala-se sempre em dólares ou euro. O sonho de consumo dos petromeliantes é se tornar não mi, mas bilionários. Agora eu fico nas minhas reflexões imaginando os milhões de dólares dos quais não se têm provas e documentos. Neste cenário, entram em ação bancos em paraísos  fiscais, os parentes e laranjas. É muito dinheiro surrupiado do povo brasileiro a que a imprensa não tem acesso e policia federal e ministério público não conseguem provas documentais. Quando muito algumas delações premiadas que estão em curso.
O que nos preocupa(a nós parcela significativa de pessoas honestas), trabalhadores e pagadores compulsórios de tantos impostos é a inoperância de autoridades e segmentos políticos de oposição ao governo e seu séquito de petistas  que estão aí no poder. São ministros da Justiça, base aliada no congresso, petralhas e outros seguidores radicais , todos irmanados em negar as trapaças, conchavos e outras trambiqueiras de dar inveja a Marcolas e Al Capones .
Vamos pegar a bola da vez que é a operação  lava-jato  da Petrobras. Estamos assistindo a um vexame gigantesco. A gatunagem e corrupção ali chegaram a tão alto grau que o próprio procurador da República, Rodrigo Janot,  pediu a troca da diretoria da empresa e a presidente Dilma Rousseff nada faz. Para ela está tudo normal . E a CPMI da compra superfaturada de pasadema? Os membros da comissão eram maioria do PT. Eles ouviram, ouviram, ouviram depoimentos e ao final não indiciaram ninguém. Uma piada para inglês ou japonês dar gargalhadas. Um negócio que além de muita propina deu um prejuízo aos cofres públicos de quase 800 milhões de reais. Só rindo mesmo. Com a pressão da imprensa e oposição, os membros da comissão( presidente Marcos Maia PT RS)  voltaram atrás e nominaram  mais de 50 pessoas como culpadas pela compra e roubalheira envolvendo a sucata de petróleo lá do Texas (EUA).
Nossa petroleira valia ,há 6 meses,  730 bilhões de reais. Hoje não passa de 140 bi. Que tragédia. Toda a cúpula da empresa com indícios de envolvimento na quebradeira e ninguém demitido, um vexame  internacional.
Em que pese vermos tantos pecados em nosso cenário político; tantos crimes de lesa-pátria e lesa-economia de nossos governantes; eu ainda acredito na redenção de nosso país. E esta minha crença e esperança se fundamentam em uma legião de pessoas que, em meio a um apodrecimento geral do caráter e ética de tantos poderosos , trabalham de forma honesta e dura para sobreviver. Estas pessoas que vão e voltam todos os dias do trabalho ainda engrandecem nosso país. São elas os verdadeiros brasileiros que honram e constroem o que ainda sobra de bom neste país. São estas  pessoas as heroínas e os heróis anônimos que tornam nossa pátria um gigante valoroso e de muito futuro. Eu acredito e vou procurar fazer a minha parte com gestos de ética, honestidade, trabalho e honradez. Feliz Natal a todos os brasileiros(as) honestos e honrados .   Dez/2014.

João Joaquim médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com



A ANGÚSTIA EXISTENCIAL DA HIPERVELOCIDADE E HIPERPERMISSIVIDADE  
 
 João Joaquim  


O mundo vem sofrendo tantas transformações, tantas mudanças na esfera tecnológica e científica que tem se tornado até um desafio às pessoas estar em atualização com todas as novidades. Um bom exemplo da rapidez de tanta inovação é o setor de informática e comunicação. O que hoje é o top em termos tecnológicos, com um ano já pode ser obsoleto e sucata. A vida média de muitos inventos tem sido cada vez mais curta.
E para as pessoas? Quais as conseqüências que tão rápido progresso e aprimoramento tecnocientífico têm trazido? Nas relações humanas, na qualidade de vida, na saúde orgânica ou física, na saúde mental, no equilíbrio emocional, nas relações afetivas, nas relações intra-familiares, nas relações pais/filhos, nas relações alunos/escola, alunos/professores? 
Não há dúvida de que progresso e refinamento tecnológico melhoraram a qualidade de vida em qualquer sociedade. A produção e produtividade tiveram um salto de qualidade e quantidade. Isto parece ser consensual entre as pessoas. Analisemos então a pessoa humana inserida em todo este processo como sujeito-autor desses avanços e sujeito-receptor dessas mudanças.
No concernente ao bem-estar físico ou orgânico , progresso e tecnologia resultaram em melhora da saúde orgânica na medida em que com a mecanização e robotização de muitas formas de trabalho e produção o homem necessita de despender menos esforço e energia para produzir o mesmo trabalho e aumentar a produtividade. Os agravos, os riscos, os danos à saúde foram minimizados. Outra conseqüência das tecnologias foram no campo da Medicina e todos os ramos científicos da saúde. Os diagnósticos e tratamento das doenças antes de alta morbidade e mortalidade se tornaram mais acessíveis a todos. Alguns exemplos foram a prevenção da poliomielite, da tuberculose, a erradicação da varíola e muitas outras através do uso de  vacinas e soros.  Antes eram  doenças de alta letalidade e mortalidade. A aids já não assusta tanto, porque embora não haja vacina, as drogas antivirais trazem mais longevidade  e qualidade de vida.
Desviando nossas lentes de foco e mirando o lado psicoemocional e comportamental da sociedade. Progresso e avanço tecnocientífico mudaram o que nas pessoas? O mundo hoje vive o que se pode chamar de a era da  hipervelocidade. Tudo tem que ser feito para ontem. Há no mundo uma competição e rivalidade desmedida e tresloucada. Vivemos ,  trabalhamos e produzimos como numa competição olímpica. Cada um busca trabalhar e agir para ocupar o melhor lugar no pódio. E para tanto nem que eu tenha que romper os meus limites fisiológicos e físicos. E nessa selvagem competição não importa que eu também quebre os meus princípios éticos , de harmonia e civilidade no convívio social. Na seara do comportamento, tanta tecnologia levou a sociedade ao que podemos classificar de a era da  hiperpermissividade. Vivemos os tempos da hipermodernidade. Estamos na  era do tudo pode. É proibido proibir. Sobretudo esta premissa se aplica na criação dos filhos pelos pais e educação desses filhos pelas escolas. Segundo diretrizes do MEC, da era petista, é proibido uma correção mais disciplinada e reprovação de aluno. Aprendendo ou não o aluno tem que passar de ano. O sentido e conceito de educação e cultura são outros. Parece que aprender, adquirir conhecimento que engrandeça e aprimore  o caráter do ser humano tem pouca relevância. O que precisamos é estar antenados uns com os outros e com o mundo. A construção de uma bagagem ética, moral e cívica  pouco importa. 
Existe um afrouxamento geral. No comportamento familiar, no convívio e ética social, nas atitudes sociais, nas relações profissionais. Observância de preceitos éticos tornou-se recomendação relativa e meio obsoleta. Depende dos interesses e fins de cada um, de cada grupo socioprofissional.  O lícito, legal, obrigatório e moral é muito subjetivo e vai depender dos fins almejados. Os  meios para se atingir determinado fim dispensam normas, civilidade e ética .
Frente a tantas mudanças, a tantos aparatos tecnocientíficos com tamanha celeridade foi inevitável uma epidemia (ou pandemia) que se abateu sobre o gênero humano. A angústia existencial global. Todos temos nossos momentos com algum transtorno de ansiedade patológica. A pessoa da hipermodernidade está fadada a este terrível mal, esta doença dos tempos digitais  que encarcera e constrange qualquer um, a angústia da sobrevivência . Esta moléstia , resultado de tantas conquistas, na área das ciências e da tecnologia tem se caracterizado por um espírito e comportamento aflito e agitado, por uma vida de tribulação e sofrimento. Ao se ver preso e acorrentado a tantos aparatos, a uma corrida frenética exigida para a sobrevivência de si mesmo e da família o homem se sente vitima e refém de todo este sistema de conquistas.
 A fuga e minimização a todo este estado confuso e prisioneiro se faz com o desapego a esta quase religião ao excesso de materialismo. A essa ganância construída pelo mundo capitalista e consumista.
Soren Kiekegaard, filósofo dinamarquês , abordou o tema angústia e ansiedade em suas obras, segundo ele a angústia é um medo fora de foco, comparada à condição do homem à beira de um precipício . Ao medo refreado de nele precipitar, o homem sente-se um impulso de nele se atirar. A esse  sentimento bipolar ele o denominou de vertigem de liberdade. A angústia remonta ao mito de adão e Eva, do pecado original. À consciência de comer o fruto da árvore do conhecimento, instituído por Deus. Adão, previamente,  não possuía estes dois conceitos. Não havia a consciência do mal. Ao provar e degustar do proibido , o homem instituiu esse mal que o corrói até a alma , a angústia de estar no mundo, e agora cada vez mais conturbado, incerto e ameaçador.
Em suma com essa temática , não quero demonizar e excomungar o progresso, as conquistas que auxiliem o homem em seu trabalho, em seu lazer, em sua comunicação global, em seu ir e vir, em seus cuidados com os seus semelhantes, com o meio-ambiente, com a terra.
Todos temos perdido cada vez mais nossa condição de racional, de emocional e afetivo. Podemos desfrutar e possuir todas as tecnologias, dos  aparatos científicos aí disponíveis , mas não ser por eles possuídos de forma irracional e desmedida.
A vida, a consciência afetiva de qualidade, com menos angústia é possível. Do contrário nos tornaremos cada vez mais doentes, do coração, da cabeça e da alma.          
      João Joaquim   médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com                         





UMA COMISSÃO COM ARES DE VINGANÇA
João Joaquim 


O ser humano é movido por vários sentimentos. Entre estes o amor, o  ódio ,  a  vingança, o sentimento da vaidade, o  da competição etc.  Discorro aqui sobre dois sentimentos de que volta e meia somos acometidos deles como exemplos de minhas assertivas iniciais, a emoção e a vingança. Quem nunca sentiu um desejo de vingança ?
O sentimento da emoção - Um exemplo robusto e cristalino a nação teve nessas eleições para presidente do Brasil  em 2014-  Todos hão de lembrar que no clímax da campanha, os três candidatos mais cotados , pela ordem das pesquisas eram Dilma (1º lugar), Aécio (2º lugar), Eduardo Campos (3º lugar). Ocorreu a tragédia, 13 de agosto de 2014,  com o avião do candidato Eduardo. Morreram ele mais seis assessores. Mais do que tragédia uma comoção nacional. Nesse doloroso transe, todas as virtudes do candidato morto foram exaltadas, até mesmo pelos radicais petistas. Só para relembrar , Eduardo campos foi ministro do ex-presidente Lula e se tornou um dissente dele.  Campos era a esperança de uma liderança muito forte, não para o presente, mas em futuros pleitos.
Em meio à consternação da morte súbita e trágica de Eduardo e seus assessores assume a campanha a candidata a vice, Marina Silva (PSB). Como se sabe a ex-senadora Marina ( Acre) é também  uma dissidente do PT de Lula e Dilma. E aqui neste interstício dos comícios e campanha presidencial eu exalto sobre o combustível emocional com que são movidas as pessoas. Todos nós temos  de recordar que no auge do luto pela morte de Campos, a candidata Marina (vice) foi para os púlpitos e ruas enumerando as qualidades do falecido.  Ela assumiu a campanha  encampando os compromissos de campanha do ex candidato morto. Pronto, aqui comprovamos o peso do fator emoção que envolve e move as pessoas. Marina Silva assumiu a preferência nas pesquisas. De sorte que teria sido eleita presidente, se as eleições tivessem ocorrido 10 ou 15 dias do início de suas campanhas, após a morte de Campos .
 Entretanto, o que assistimos  a seguir ?  Em face das difamações e ataques dos carbonários e bestas do PT a candidata, despencou na preferência do eleitorado. Quem ficou para o 2º turno foi o antes rejeitado Aécio Neves. Aqui de entremeio, não custa lembrar outros adversários corrosivos que minaram as chances de Marina de ir ao 2º turno , as mentiras perpetradas pelos petistas . Foram factoides tão repetidos , que muitas pessoas acreditaram como verdadeiros.  Tais inventivas são outras demonstrações de como um sentimento ( emoção inicial por uma morte trágica )  é mascarado e engolido por outras construções falsas e que revolve o discernimento e crítica  das pessoas.
E o sentimento da vingança ? Eu não escrevo aqui para agradar a todos, mas pego outro  fato e criação  do governo petista de Lula e Dilma para robustecer a minha tese de vingança como combustível das pessoas . Trago como exemplo a comissão nacional da verdade (CNV). A mim, me parece que o sentimento que moveu os petistas  a criarem a CNV foi em primeiro lugar o da vingança. O decreto dessa comissão estabelece o quê? Apuração dos crimes militares da ditadura que vigorou de 1964- 1985. Crimes contra quem? Contra os guerrilheiros, sequestradores e comunistas da época. Entre eles, José Genoíno, José Dirceu e Dilma Rousseff (atual presidente). Lembro que a ditadura da época exerceu de fato um terror de Estado. Houve execução de  muitas pessoas. Algumas de forma errada. Muitos (as) anarquistas e bandidos(as) escaparam por lances de sorte. Entre esses a   ex guerrilheira Dilma Rousseff , José Genoíno e cia.
Em 1979 houve a lei da anistia para os dois lados. A meu ver foi a melhor saída, pelo terror e crimes cometidos  por agentes de direita e guerrilheiros ( ditadura e militantes de esquerda).
Além da vingança oficial( governo petista)  a CNV objetiva-se a  apontar  os crimes e responsáveis militares por torturas e execuções  . Pergunta-se: e os crimes cometidos pelos terroristas de esquerda? Bem, passados 40,  50 anos,  a punição aos culpados de ambos os lados sugere que vai   ficar para as calendas gregas. Resta então aos petistas, hoje no poder, pelo menos uma pontinha de vingança! Este parece ser todo o saldo que terá a infrutífera e onerosa Comissão Nacional da Verdade:  a vingança dos atuais ocupantes do poder ( os petistas , comunistas de 1964) contra os militares que comandaram o pais no regime de exceção daquela época.
 Vamos lembrar outras características do brasileiro, a memória. Em geral as pessoas esquecem rápido muitos  malfeitos;  é o caso de corrupção, improbidade administrativa, mentiras. Aliás, mentiras não faltam em promessas eleitorais. A diferença está em como contá-las ou prometê-las melhor. É igual artes dramáticas ou cênicas. Leva vantagem quem melhor fingir e fazê-las parecer verdades. Nesta arte os petecomunistas parecem imbatíveis .
No fundo a vingança  se confunde com o ódio , o desejo de desforra. Trata-se de uma sensação inerente e quase exclusiva  do gênero humano. Tal desejo de revide, de reparação, de retaliação chega a extremos de cegar e ensandecer o discernimento, a razão das pessoas. No campo pessoal e individual é comum por exemplo os crimes por desavenças em negócios, ou mais exacerbadamente os crimes passionais. Todavia, o sentimento de vingança de maior vulto e mais complexo e terrificante é aquele que se dá em nível de Estado. É o que se dá por exemplo entre rivais ou opositores políticos, por ideologias contrárias, ou mesmo com o propósito puro e simples de humilhar o oponente. Como exemplos os crimes de execução, perseguição de adversários políticos, mais comuns nos regimes de exceção , nas ditaduras, e mesmo em sistemas democráticos ou pseudodemocráticos como Bolívia, Venezuela, Equador etc. As guerras também são outros tristes exemplos de vingança de uma nação contra outra como foi a 1ª e 2ª guerras mundiais.
 Enfim, são esses dois sentimentos, a emoção de um lado , de outro a vingança( que se confunde com o ódio ) os motores da humanidade. A Comissão Nacional da Verdade tem este cheiro, um jeito de vingança , dos hoje ocupantes do poder contra os militares da ditadura do período 1964- 1985 . 

   João Joaquim médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com