sexta-feira, 5 de agosto de 2022

DUPLO CARÁTER

 

Quando lemos, analisamos, esgaravatamos e esquadrinhamos os fatos, feitos, e expedientes humanos, nada mais nos surpreende. Porque muitas coisas nos são noticiadas graciosamente. “Nada que é humano me surpreende porque sou homem” Terêncio – pensador romano.

Pois não é de ver que havia nas cortes de Justiça, de justiça hein, ali nos Rios de todos os dias, e nos Parás, uma classe de gente que tinha o mesmo caráter- Esses sujeios tanto eram desonestos dentro e fora dos foros jurisdicionais.   É dos humanos

Eles roubavam e acobertavam, homiziavam quem mais que eles roubavam e dividiam com quejandos os lucros dos roubos.

Porque há esses tais que vertem a mesma conduta, o mesmo caráter, a mesma personalidade. Agora imagine outros,... 

 

LEIAM isto.

https://consultor-juridico.jusbrasil.com.br/noticias/124066168/desembargadores-do-trf-2-sao-presos-pela-policia-federal

De acordo com a PF, entre os presos estão os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, José Eduardo Carreira Alvim e José Ricardo de Figueira Regueira e o procurador regional da República no Rio, João Sérgio Leal Pereira. 

LEIAM MAIS:

https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/policia-federal-investiga-desembargadores-do-tj-do-para-e-servidores-do-governo/

Agora imagine outros... No trabalho têm uma conduta e um caráter, fora são outros quinhentos e trapalhadas e calotes.

Conforme outros jornais locais, blogs jornalísticos, e notas da arraia miúda, aqueles profissionais que dizem as façanhas e os fatos sem rebuço ou açaimos havia então uma turma ou tribos que agiam e agem assim:

- Nos tribunais de lá e de cá, no ambiente corporativo e interativo e vigilante, esses quejandos e tais, trabalham certinhos, certinhos, conforme os algoritmos aprendidos nos treinamentos. Gente graúda e graduada em Direito, Sociologia, Relações Humanas etc, e tal.  Cargos de Assessoria jurídica etc. e tal. Entao ali, onde vigiados por normas, por códigos de conduta, por compliance corporativa, tudo lindo, normativos, padrão. Já fora dos órgãos de labor...

- São trambiqueiros, caloteiros, estélio-natários, golpistas, mau pagadores, inadimplentes com várias pessoas, parentes, contra-parentes, aderentes e outros inocentes, ingênuos. São tomadores de dinheiro e outros bens e nunca cumprem os promissórios deveres. São esses os relatos da imprensa local e jornalistas que bem conhecem as peças humanas. Notícias de lá.

“Somos capazes de, ao caminhar pelas ruas, desviar sem problema de fezes caninas ou felinas; contudo encontrar fezes humanas é motivo de asco ou distanciamento
Nada do que é humano me é estranho? Mario Sergio Cortella

 

Aos interessados, leiam mais em a tribuna do norte, blog de Justino Fidelis – Belém – PA

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

ALIENÇÃO PARENTOMARITAL

 

Porque na verdade, esse é outro comportamento e iniciativa muito bem estudados no chamado Direito dos Bretões ou anglo-saxônico. O Efeito que muitos e muitas empregam na perturbação da concepção que vertem os filhos e filhos de alguém alvo da chamada ALIENAÇÃO PARENTOMARITAL.  Tem sido jogado por terra aquela tradicional tática de achar que os intermédios sejam os filhos da vítima. Não e nao! Outras pessoas, outros estratagemas podem e são por demais utilizados. A difamação, a vilania, a desconstrução do outro a qq custo. Para tal existem os corrilhos, as camarilhas e asseclas.

 

 VEJA ESTA MATÉRIA PERTINENTE E ATINENTE

 O poder familiar e a alienação parental

 Francine Schimitt

 Os pais exercem um verdadeiro poder sobre os filhos ao assumirem um dever natural e legal de proteção da sua prole, acompanham seu filho durante o natural processo de amadurecimento e formação de sua personalidade.

Ocorre que existe um compreensível desconforto com o vocábulo poder, até mesmo uma distorção na sua interpretação. Pois o que se identifica nos casos práticos de litígios de família é a remota ideia de domínio dos pais sobre seus descendentes, o que não se concilia com a democratização da família

sábado, 30 de julho de 2022

Plágio

 nota:

 Textos Semelhantes e deste extraídos circulam por ai, como autor desconhecido - Não importa , divulgar o que é bom constroi o outro

 

"Aprenda, como em delfos, conheça a ti mesmo, que bem ali na sua morada, respeitar, respirar, respirar, antes qualquer resposta, respeitar a si mesmo.

E se estiver em casas, rodas de gente, ambientes insalubres, socialmente, você deve e sempre, sair dos lugares que não deveria estar.

Instrua-se, aprenda-se a se levantar das quedas, opróbrios, volutabros e dos labéus à sua volta. Levante-se e saia.

Que importa a você se tentaram  fazer você lacrimejar, chorar.

Autoestima, todos nela falam haja como fez Confúcio= ame a si mesmo quando lhe fizeram acreditar que você não precisava se respeitar.

Cuidar-se, de “si mesmo”. Primeiro sua autoestima, prevenção em tudo.

Existem os falsos conselheiros de que sempre temos que agradar a outros, não importa, se eles fazem questão. Será?

Sabe a história, parábola do sim, e do não. Digo sim, para mim, depois.

Quantas pessoas planejam ou são planejadas por quem lhes quer bem e depois elas não estão nem aí. Pense nisso. Reveja os planos passados

O tempo e a vida nos mostram o quanto podemos mudar

Cada pessoa, tem um sensitômetro, de saber dorzinhas e zonas

Minhas pelejas e esfalfar na vida, as pedras, lutas são minhas.

E eu não posso me abandonar assim.

Você é único no mundo, entre bilhões, seja você mesmo, mas assuma

Você é pessoa recalcitrantemente você, seja apaixonado pelo seu eu, sem egolatria, sem egoísmo. Você é você mesmo

 

João Dhoria Vijle

Sauros nativos

 JDV

Foi só ouvir o sos e Stellio Silva, natural do coração do Brasil, se pôs a engendrar seus planos. Stellio, era nato, expert na arte do ludíbrio, teatralmente falando. A arte de representar! Não impropriamente havia feito artes cênicas com sicofanta pessoa genitora, especular e paradigma na arte de comensal e lances de karatê.

Dedicado a zootecnia silvestre, tinha muito diletantismo pelo estudo dos sáurios. Com essa indicação, criava lagartos amarelos. Amarelos conforme as circunstâncias. Porque os sorrisos também se faziam no mesmo molde.

Stéllio tinha outras vocações, comércio de calotas automotivas. Era o mais afamado mercantil de rodas de carro. Profissão já cadastrada na sua agenda de relações da praça. Mais do que zangão amestrado.

Stélio Silva, você ainda pratica o escambo daquelas calotas que foram de seu pai? Perguntou um cliente useiro e vezeiro de suas relações esponsalícias. Esse era outro tema de que gostava de alardear. Na agência nacional de aviação, se fala mesmo desse tema. Agora calotas de avião! Maldição, imprecação. Esta era a faculdade da metade de sua cara.

O certo e sabido é que Stéllio, nato na arte de mercancia de boas calotas não se desvencilhava de sua expertise de lábio leporino. Ou lábias perdulárias e suasivos argumentos. E a habilidade nos lances do karatê e UFC continua a mesma.

Serração

 

O ÓCIO DO CICLO E O CICLO DO ÓCIO

JDV

Vamos imaginar um globo de vastas dimensões; e que tenha essa enorme construção alguns pontos interconectados em seu interior. Que finalidade vertem esses pontos interligados: nenhuma. Eles nada produzem, nada rendem, nada ofendem. Nenhum resultado construtivo geram. Eles existem por existirem e não passam da tacanha existência. Eles trazem contrários a si o existirem. Nenhuma essência, nem aquém e nem além da presença.

Ponto x1= chamando. Você viu lá, me enviaram essas fotos em cores.

Ponto x2= oh, que lindas. Gostei.

Ponto v1= Ontem eu vi aquele viaduto. Aquela passagem continua no mesmo regalo. Passa-se sem deixar galo.

Ponto v2= Eh, mas desse você não me falou. Depois a gente pode regalar juntos. Até!

X3 para V2 = Nossa, olha esse sashimi. estava uma coisa de bom. Experimente depois

V2 para x3= Não, não, eu já comi lá várias vezes. Tem um pessoal por aí. Uns tais de conectados grupais parentais. Só bonomia. Sabe aquela entrada tipo capacho e seringal. Ali é só pisar e pronto. Eles aceitam tudo, mansos.

S1 para V2 = Olhe o que fiz para a Mariquinha. Ela foi chupar pirulito e se lambuzou toda.

V2 para s1 = Vê! Guarda um para “eu”. Eu adoro chupar pirulito. Esse mais calibroso! Guarde aí que pego.

S1 para v2 = Eh, eh. Pode deixar que guardo. Falar nisso veja aquela fotinha que o V1 nos enviou. A minha se perdeu.

Sicrano 1 já faz 10 anos de celular, foi pioneiro na tecnologia do móvel. E nenhum outro mister ou ofício o demove de obter algum ascenso. É só descenso e descanso. A cada balanço, os ganhos sinápticos e dendríticos ficam nulos. É a nulificação humana em pessoa.

Sicrana 2. Olha esta nova aqui. Esses dias passou a super lua. Aprecie a foto. Lindona!

Nisto chega mensagem urgente do fulano 1. Hum que bacana. Mosquito mosqueado. Varíola dos macacos. E eles mordem. Perebas, foto feia.

Mensagem do beltrano 3. Eh, olha para esse exame. Será que tomo algum trem para isto? .....Hum, 10 minutos não responde.

Acho que vou telefonar, é mais rápido. – Sicrana 3. Ah, sim, vou ver e te passo um zap. Zap e zupo.

Passam-se 10 anos. Existe como que uma certa hipotrofia cognitiva neuronal. Sinapses em involução neuronal. Alzheimer tecnológica.

Qual o sentido que se possa tirar alguém que não detendo nenhum ofício laborativo produtivo passa a integral e frugal existência plugado em um esmalte? Qual produção? Pluga, despluga, pluga e não pluga!

Eh, eh, onde deixei o meu celular?          Sicrano 4. Vamos lá naquela cabana das pizzas, hoje? Sicrano 1 = Vamos. Você passa por aqui e me pega. Pega-me e vamos.

Samsung, Apple, Microsoft. Em altas graças! Gracitas!

DUPLO CARÁTER

  Quando lemos, analisamos, esgaravatamos e esquadrinhamos os fatos, feitos, e expedientes humanos, nada mais nos surpreende. Porque muita...