terça-feira, 31 de março de 2015

ISIS E CIA

OS ESTADOS BANDIDOS, HORRORES DO SÉCULO XXI

João Joaquim

 Há certos fatos, feitos e organizações que nós acreditamos na sua existência porque elas estão aí em nossas vidas, em nosso cotidiano. Mais do que sua existência nós as vimos e convivemos com elas diariamente, ao vivo, pessoalmente, ou através de todos os meios de comunicação em tempo real. Com este prólogo eu quero focar sobre uma questão que vem assolando e aterrorizando o mundo todo. Eu me refiro à violência e aos crimes que campeiam pelo Brasil e pelo planeta e que têm constituído em uma afronta e um grande desafio para os países, não importa o tamanho, o poder econômico e grau de desenvolvimento dessas nações. Caso dos Estados Unidos e França por exemplo.
Vamos começar por uma violência ou organização criminosa que vem sendo manchetes e mais manchetes em todos os órgãos de comunicação e jornais que é a operação lava-jato, da polícia federal. Nós, aqueles brasileiros honestos, que trabalhamos certinho e pagamos em dia o que nos é imposto (e põe imposição nisto) só acreditamos em certos fatos e realidades porque elas estão a nos assombrar e nos escandalizar todos os dias. São feitos e proezas criminosas com as quais vamos até nos acostumando e com isto fica uma sensação de que tudo está normal e não tem volta. Há como que um adormecimento ou torpor no coração, na consciência e sentimento de crítica e de patriotismo  da sociedade.
Eu não quero nenhum esforço crítico, nenhuma austeridade de reflexão daqueles que me leem, de quem acompanha os noticiários de todos os órgãos de mídia. Vamos pensar simples, sem muito gasto de glicose, ATP ou forçar nosso córtex cerebral. Imaginemos um país democrático, organizado, com todos os poderes constituídos e funcionando bem! Ou seja, tem um congresso bicameral, executivo com chefe de Estado eleito pelo povo( bem observado que no Brasil chefa de Estado), um judiciário bem aparelhado e gigantesco ,polícias federal e estaduais,  e outros tribunais e agências reguladoras. Tudo bonitinho e certinho como boca de bode !  Agora vamos imaginar que dentro de uma grande empresa público desse Estado seja constituído um outro estado, uma organização criminosa! Falando assim, fica a parecer uma piração total ou enredo criminoso. Mas, não é ficção ou delírio. É real, é palpável, é visível e só acreditável porque está aí. É a camarilha e quadrilha instalada dentro da Petrobras. Se uma pessoa acordasse de um coma de 10 anos e fosse-lhe narrada tal façanha criminosa, forjada e funcionando há mais de 10 anos,  numa empresa estatal, esta pessoa agora desperta e lúcida  não acreditaria. Tudo beira a uma ficção policialesca.
Outros exemplos que beiram ao espanto e surreal:  as organizações criminosas urbanas ou dentro das próprias penitenciárias. São os casos do primeiro comando da capital (PCC) de São Paulo e comando vermelho(CV) do Rio de Janeiro. Todos nós de sã consciência e sem surtos de delírio ou alucinação só acreditamos porque elas fazem parte da comunidade e rotina das pessoas. Elas estão lá, tem suas regras, estatutos, tribunais. A todo dia seus membros andam exibindo seus fuzis de última geração, granadas, metralhadoras. Um autêntico deboche e galhofa das autoridades.  Trata-se de um estado bandido dentro do Estado Oficial. O máximo que as autoridades públicas podem fazer é um permanente confronto. Nunca tais crimes organizados são aniquilados. Prendem-se ou matam-se alguns líderes, mas outros surgem como formigas saúvas e tudo se torna como um moto-contínuo.
Vamos pensar em âmbito global. Nada existe de pior banditismo, de mais ameaçador e terrificante do que os fanáticos fundamentalistas  do estado islâmico (Isis). É inaceitável e intolerável que esses grupos de bárbaros e selvagens se organizem e funcionem em territórios e cidades de países civilizados e constituídos de todas as autarquias, exércitos e tribunais. É o caso por exemplo da Síria, do Iraque e Líbia. A Síria numa guerra civil de 4 anos já produziu mais de 200 mil mortos entre opositores do regime ditatorial de Bashar Al-Assad, civis e muitas crianças. E  acreditem,  não dá conta de eliminar grupos do Isis dentro de seu próprio território. Os EUA, guardião da democracia e dos direitos humanos, destroçaram  o regime de Sadam Husseim e não sabem como anular as atrocidades e execuções dos grupos terroristas que, em série, vêm degolando e queimando  prisioneiros de vários países. A mais nova barbárie desses lobos selvagens e sacripantas tem sido a destruição de patrimônio histórico de mais de 3 mil anos em terras do Iraque(esculturas de Assírios e Sumérios).
 Enfim, estamos a ver hoje diversos estados bandidos e criminosos organizados e estruturados dentro de vários Estados Oficiais. O que nos conforta e traz esperança é saber que o nosso horrendo e pavoroso estado bandido do  petrolão está prestes a ser sufocado e esmago pelas forças e austeridade do bem, de nossa justiça brasileira, sob o comando do intrépido e intransigente juiz Sérgio Moro, 13ª vara de Curitiba - PR. Isto, se o PT e seus apaniguados não atrapalharem. Articulação e tentativas para tal feito não têm faltado a esses esquerdo-comunistas, cujo partido, o PT e associados são os principais beneficiários dos roubos de nossa Petrobras. Que país é este ?   

    
 João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com

MILAGRES E FALSOS ....

MILAGRES E FALSOS PROFETAS 

João Joaquim

Caro leitor, você acredita em milagre? De certa feita alguém já me fez esta pergunta. Veja que é até deveras interessante! Fazer tal pergunta a um profissional de saúde. Tal interrogação se torna muito intrigante quando dirigida àqueles profissionais que lidam com a vida sustentada por um fio. São os casos por exemplo dos paramédicos, aqueles socorristas dos corpos de bombeiros. Aliás, faço um merecido elogio a esses autênticos heróis anônimos. Eles dão o suor e sangue pela saúde e pela vida de pessoas em risco. Quando não dão a própria vida para salvar o outro. Eles, sim, são dignos do título de heróis. Sem mídia, sem TV, sem holofotes, ao contrário de muitos outros por aí, incensados pela mídia, e sem nenhum feito relevante de solidariedade ou filantropia. Caso por exemplo dos milionários esportistas do futebol , de fórmula 1, de UFC. De quando em vez eles mudam de lado, de heróis se tornam vilões pelo uso por exemplo de anabolizantes e outras formas de doping . Estes , merecem minhas láureas ( anti-medalhas)pelos ignóbeis feitos e proezas pilantrópicas.
À pergunta se acredito em milagre eu disse e repito agora que sim. Eu não só acredito como já presenciei fatos e ocorrências que escapam à nossa racionalidade e aos princípios  das Ciências. Eu já trago no “curriculum vitae” três décadas de profissão médica. Então posso falar de algumas vivências que muita vez fogem às explicações e razões da biologia e das Ciências Médicas. Eu já trabalhei em terapia intensiva e unidades  de urgência. Alguns casos pontuais para ilustrar os quais nos soam ora como sorte, ora como autêntico milagre. Imagine um sujeito levar uma pancada na cabeça, ter o crânio fraturado como uma melancia e sobreviver sem nenhuma sequela. Imagine alguém ter o coração transfixado por um punhal ou projétil de arma de fogo, chegar no pronto socorro, ser operado e sair vivinho da silva sem nada no outro dia!
Eu me formei em Medicina( curso de 6 anos). Em fase de pós-graduação  fiz dois anos de residência em clínica médica (ou clínica geral), um ano de medicina interna e mais dois anos de cardiologia. Especialidade que mais exerço hoje. Gosto da Medicina como um todo. Aprendi com meus bons mestres a tratar mais os  doentes(pessoas) que as doenças. Tenho uma saudável inveja de São Lucas que foi médico de homens e de almas. Procuro e me contento em entender um pouco dos corações e das pessoas. Por que falo entender  um pouco da cardiologia e de corações? Porque assim posso rememorar alguns casos que me acorreram que nos fazem fiar piamente em milagres. Aliás, o coração em si e sua dinâmica nos sugerem um milagre. Ele se constitui em 80% de um músculo que para manter a vida contrai de forma ininterrupta. Tente contrair o seu músculo bíceps por uma hora seguida. Ninguém consegue. E se conseguisse fazê-lo a pessoa  teria muita fadiga e necrose (morte celular deste músculo). O que é o infarto do miocárdio? É a morte muscular por falta de irrigação de sangue arterial por um das coronárias ou ramos destas( obstruídas). Quanto maior o infarto mais risco de morte súbita. Qual a regra com as vitimas de infarto ? Perda de 40% ou mais do miocárdio, grande risco de não chegar ao hospital. Cerca de 40% dos indivíduos que sofre infarto do miocárdio falece antes de alcançar atendimento médico. A melhor estratégia contra uma doença que mata tanto está na prevenção : check-ups regulares, atividade física, alimentação saudável, nenhum vício, manter peso ideal, e eliminar todos os fatores de risco( colesterol, diabetes, hipertensão, estresse, etc).
O que já presenciei que nos parece milagre ? Pacientes com infartozinho de 10% ou 15%, chegarem bem no pronto socorro e morrer no curso do tratamento hospitalar(aqui seria um azar). Outras vítimas que perderam 50% ou mais do músculo cardíaco, sobreviveram e tocarem a vida como se nada lhes tivesse sucedido! São enigmas para a Medicina que nos fazem acreditar em milagres para uns e  para outros não .
Agora em termos de milagre no senso geral , se tem uma concepção na qual eu acredito muito também é a chamada determinação ou o poder da vontade de cada pessoa em romper os seus limites. É o que no popular também se chama de garra, de gana, de ousadia em sempre buscar eliminar ou transpor os obstáculos da vida; com otimismo e crença em suas próprias forças e aptidão.
E para finalizar sobre milagre e sua existência eu repilo, rechaço  e reajo contrariado quando vejo em pleno século XXI tantos falsos pastores , falsos profetas e pseudoapóstolos que exploram a boa fé e baixo senso crítico de muitas pessoas humildes. E olha que não são poucos esses espertalhões. Tenho sempre minhas dúvidas e penas das pessoas exploradas por esses profissionais da fé  que agem em nome de Deus e Jesus Cristo. Algumas igrejas evangélicas( evangelho, que hipocrisia) constroem templos que mais parecem palácios reais ou o Coliseu Romano, e induzem os fieis a compra de um lugar no paraíso ou salvação da alma. Tudo isto em nome de Jesus Cristo e seus discípulos . Como vivemos em um Estado laico, tudo pode. Além do que , cada um tem o seu livre-arbítrio. O que não deveria  poder é o explorador ter o livre-arbítrio da exploração da baixa instrução e boa fé das pessoas .
Portanto, meus caros leitores e leitoras, não caiam nessa esparrela ou ciladas de muitas igrejas e seus pregadores. Muitos casos ali mostrados são perfeitamente possíveis e explicados pela biologia, pela fisiologia humana, pela Medicina. Dou-vos alguns exemplos .  Você faz um exame hoje, uma ultrassom, uma tomografia. Tem lá uma imagem típica de um tumor, uma inflamação, um nódulo de mama, de endométrio, de pulmão, de próstata . Passam-se três meses repete-se o mesmo exame e mostra o sumiço da imagem. Milagre? Nunca. O melhor terapeuta é o sistema imunológico, o próprio organismo. Milagre como um portento, um prodígio, uma maravilha existe. Mas poucos são os  agraciados com ele. Eu vou continuar fazendo o meu dever de casa, minha prevenção, meus cuidados em tudo na vida,  mas, se eu  precisar de milagre que Deus me socorra com essa dádiva. Aliás, a vida em si já é um milagre. Ou não ?    

  
João Joaquim  - médico e articulista do DM   joaomedicina.ufg@gmail.com


VENDER NÃO , MAS FUMAR...

Dez toneladas não! Mas fumar pode

 João Joaquim


Se tem uma tragédia inominável em tamanho, destruição, desagregação social e familiar se chama uso crescente de drogas ilícitas. Veja bem que me referi ao uso e não existência delas. Digo nestes termos porque para mim elas podem existir aos quilos, aos borbotões , às toneladas que não me  farão diferença. A questão está em usá-las ou não usá-las. Igualzinho  a coexistência do bem e do mal. Ambos estão sempre à nossa espreita. O resultado e efeitos serão de que lado eu fico. É simples e ponto final. Nesta questão, as famílias têm um papel decisivo. Situação análoga ao encontro da presa com o predador. Os pais devem sempre proteger as suas crias. Eu protejo as minhas, porque as feras do tráfico estão soltas por aí.
Aqui neste ponto é que moram o risco e todos os perigos para o animal humano. Resultados e efeitos e lados do mal. Dilemas e opções que a princípio parecem não ter incógnitas X ou Y para soluções. Clareza meridiana! Será? Aqui entram o busílis, o nó górdio, o quid nessa encruzilhada da vida, porque o diabo e toda a personalização do mal têm os seus truques, os seus enganos e engodos. O mundo do crime se equipara ao éden , onde se encontrava o casal adâmico , tudo em paz, bonitinho. Aí chega a serpente, toda cheia de boas intenções e todos sabem o final da história.
Não seriam dilemas nem encruzilhadas da vida se toda pessoa nascesse pronta e ciente das armadilhas e chamariscos da maldade. Alguém, algum leitor conhece algum drogadito, algum traficante, ou outro toxicômano ou delinquente que se iniciou depois dos 40 anos? Eu conheço raros casos. Conto-os nos dedos de uma única mão. São lembranças de exceção! As crianças, os adolescentes e jovens de baixa idade,  são as presas mais vulneráveis. Eles estão na base dessa destruidora pirâmide do consumo e dos futuros traficantes das malditas e diabólicas drogas. Uma epidemia gigantesca cujo recrudescimento  e adeptos  de mais e mais adictos não têm limites.
É de fácil compreensão que o crescente consumo de toda forma de substâncias de efeitos psicotrópicos ou alucinógenos têm em sua origem múltiplos fatores. Dentre esses podemos destacar a desestruturação moral e educacional das famílias. A criação permissiva e frouxa dos filhos tem sido uma tônica da modernidade, dos chamados tempos digitais e da vida virtual, que de virtude não tem nada. No mundo e submundo  da Internet tudo resvala para um outro  mundo com comportamentos e atitudes sem regras e sem limites. O pensamento até de muitos pais e pedagogos voltou a ser aquele da época dos hippies e da rebeldia. Qual era o lema deles? É proibido proibir. Hoje vemos até psicólogos e educadores entrarem neste barco furado à deriva. Até criadores e defensores dos propalados direitos humanos têm navegado nesta onda do liberalismo sem regras. Muitos outros fatores entram nesta que não mais é mais uma hecatombe, mas uma catástrofe com milhões de vítimas. Pudera! Quem dera fosse apenas cem( hecatombe, era o sacrifício de cem bois aos deuses do olimpo, mitologia grega)! Mas, não. Só no Brasil temos mais de dois milhões de usuários de crack. Atenção para esse numero! Não disse mil. Dois milhões de usuários de crack. Repiso de novo a cifra, dois milhões, apenas de usuários de uma das mais  devastadoras drogas. Um dos produtos da pasta base de  cocaína. Agora imagine o universo dos adictos de maconha, de cocaína, de merla, de cola de sapateiro, de morfina, de álcool, de psicotrópicos de uso médico! Trata-se de uma devastação, um aniquilamento de uma juventude, das famílias, de toda uma sociedade. Está surgindo um legião de pessoas dementes, de psicopatas, de retardados mentais, de zumbis;  legião esta fabricada por toneladas de drogas.
Que outros fatores estão na base de tão pavorosa e hedionda pandemia de drogaditos ? Pobreza, exclusão social, educação de baixa qualidade, desemprego, políticas demagógicas, código penal arcaico, leis e legislação antidrogas brandas para com os narcotraficantes; leis permissivas com os usuários. E não se trata, fazendo justiça, de culpa apenas de nossos legisladores do congresso, mas de nossos sapientes e  intocáveis juízes de nosso excelso STF, o supremo fiscal e atalaia das leis( nosso egrégio STF), revisor  dos atos e decisões dos políticos e dos governos como um todo ( no caso Brasil um governo tolo e atolado em desmandos e corrupção). Enfim, quero pontuar alguns disparates e esquisitices de quem nos governa (tempos de PT) e de quem é tido como  oficial guardião de nossa constituição e das leis. Para o supremo, marcha da maconha , propaganda e consumo (usuário) de drogas são  normais. O congresso deverá criar um monstro( legalização de uso de drogas) e o STF endossar. Tudo legal. Ainda não definiram o quanto em gramas o indivíduo pode portar de cocaína para consumo. Umas 50 gramas, 100 gramas  ? Não se sabe ainda. 
Esses dias foi apreendida uma carga de 10 toneladas de maconha. É muito, trata-se de tráfico. Imagine se o congresso definir como 50 gramas o limite máximo de cocaína por brasileiro como usuário. Não seria absurdo para consumo individual. O indivíduo pode portar quantas garrafas ele suportar de cachaça, uísque, vodka;  por que não umas 50 graminhas de maconha, cocaína, ou crack?  Está dentro de uma razoabilidade consumista .  Multipliquemos então 200 milhões( população brasileira)  x 50 gramas por usuário = 10.000 toneladas de cada droga , estocadas no Brasil. Repito a cifra, dez milhões  de kg que os brasileiros poderão carregar como usuários . Pergunta infantil: de quem os viciados irão comprar os baseados para consumo ?  Cair do céu como maná não vai. Se tem permissão de uso tem traficantes . Juntando todas as pontas, drogas + usuários + traficantes.. Estamos perdidos ou não?    


      
 João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com

CULTURA

  Assim Me Ensinou O Bariani Ortêncio
 Joao Joaquim


O pouco que sei de português eu aprendi nas escolas por onde passei e por ter o hábito da leitura. Eu sempre tive dificuldades por exemplo com gramática. Desta, a sintaxe sempre foi o meu tendão de Aquiles. E de fato eu penso ser um nó cego difícil de desatar para todos. Afinal essa parte encerra a estética, a beleza estrutural de qualquer texto.
Existem outros tópicos de grande relevância na arte de bem falar e escrever. A linguagem oral por exemplo tem a questão da acentuação das sílabas. Imagine ouvir rúbrica em vez de rubrica, dói os tímpanos .  Esta matéria na gramática tem até um nome curioso ortoépia, que alguns dicionários registram com sílaba tônica no PI (ortoepia), também chamada de prosódia. A ortografia embora traga dificuldades para muitos tem o recurso do computador. Os editores de textos já fazem a autocorreção e tudo finaliza sem riscos de erro. Agora se tem outro capítulo que sempre me representou em argueiro nos olhos é a tal regência verbonominal. Eu, na dúvida faço como o dilema da ortografia, desassossego é com 4 ou 5 s ? Eu troco a palavra por impaciência, porque aí eu tenho certeza de não errar. Mesma história da secretária que perguntou ao chefe: sessenta é com dois s? O chefe pensa, pensa e tascou essa : troque por trina mais trinta. Um outro recurso que adoto também é ler com bons dicionários do lado. Eu trago sempre uns três em minha mesa. Um de sinonímia, um analógico e outro de regência verbo-nominal. Trata-se do popular pai dos burros (que injustiça com este muar) ou de quem se candidata a deixar de sê-lo(burro). A busca na internet também é uma opção, mas tem que ter cautela com a credibilidade (ou não) da fonte pesquisada. Existe muita abobrinha na grande rede. Eu tenho para mim que o melhor recurso para  se aprofundar e entender bem o Português é na busca da leitura de grandes clássicos de nossa literatura, de escritores dos vários períodos e escolas literárias. Aí podemos buscar desde representantes do barroco até o modernismo de hoje.
A propósito de buscar a influência de luminares na arte de bem expressar e escrever conta-se que certa vez um  repórter entrevistou o nosso pequeno gigante Ruy Barbosa. Inquiriu-lhe então o entrevistador, Dr. Ruy como e onde o Sr. se inspira para tão bem expressar o nosso idioma? Ao que retrucou o grande Ruy, lendo o Padre  Antônio Vieira. Não contente, continuou o repórter, mas Dr. Ruy, quando o Sr. vai para o púlpito, o parlatório, todas as galerias, a plateia se emudece com o clangor  de seus discursos! O Sr. busca alguma inspiração em alguém? E então retorquiu o nosso Águia de Haia ( cognome de Ruy Barbosa), eu me apoio relendo e trelendo o padre Vieira. Como se sabe, Antônio Vieira foi um gênio em várias línguas, dentre elas latim e suas derivadas como o português. Ele foi também o nosso Cícero brasileiro na arte da oratória. Em seus sermões, muito do que ele pregava sobre os governantes, os arranjos e camarilhas de pessoas desonestas e sem escrúpulos com as coisas públicas se aplica perfeitamente aos nossos políticos corruptos de hoje. Como se vê, corrupção ou  malandragem ,  é um mal que está na índole humana que perpassa os séculos.
Com a modernidade da internet tem havido um distanciamento das pessoas no hábito da leitura. Cada vez mais as plataformas digitais, com os textos virtuais (e-books), têm substituído o livro físico, imprenso em vários formatos. Desde o seu surgimento eu nunca esconjurei a utilidade e valor da virtualidade. Para quem sabe bem empregá-la a internet tem mil e uma utilidades. Mas, ela traz também milhares de futilidades. É um mundo sem leis e sem regras. Os pais e escolas de hoje querem educar as crianças e adolescentes apenas com os recursos digitais .  O que  é de uma sandice e asneira sem tamanhos. Gosto do conselho de Bill Gates ( dono da Microsoft) aos filhos, primeiro dou-vos livros , depois computador.
Para mim um bom aprendizado não se faz sem o lápis, a caneta, o caderno  de escrita e livros tradicionais. Iniciada a educação com estes instrumentos e recursos, depois, sim, apresentamos  ao educando, ao aluno, os recursos complementares da informática . O contrário, seria um retrocesso, uma inversão na lógica da verdadeira pedagogia. Em suma e já afunilando o tema de dominar o mínimo, o básico ou o  bastante da língua portuguesa vai depender do uso e exercício que faço com o nosso idioma. E isto se processa num moto-contínuo desde a infância. A família, os pais têm um papel decisivo e eterno na cultura dos filhos. Um dos segredos  na educação dos filhos está no exemplo, no modelo dos pais. Pais bons leitores farão filhos de mesmo comportamento. A esse propósito conto até um diálogo que tive certa vez com um amigo meu de vastíssima cultura. Ele tem nome simples ,Waldomiro. Trata-se de pessoa batalhadora que se apartou nestas terras dos Goyazes e por aqui se aboletou e não saiu mais. Aliás, eu também vim parar aqui desde minha graduação em Medicina. Sou de Ipatinga MG, cidade situada no Vale do Aço, próxima de Itabira do Drummond .
Inquiri então desse bom forasteiro  :  - amigo, como você conseguiu tanto saber, tanta cultura, tanta versatilidade em Ciências e artes tão diversas? Ao que respondeu-me sem vacilo e sem  titubeio - Lendo! Desde criança eu tinha o gosto da leitura. E completou  : - Por iniciativa própria e incentivo de minha mãe e meu pai eu  lia tudo. Pronto! Este é um segredo para se tornar suficiente e proficiente no próprio idioma e depois em outras artes e Ciências.
Falei do exemplo desse amigo Waldomiro. Trata-se de ninguém menos que o nosso ilustre e multicultural Bariani Ortêncio. Waldomiro é apenas seu 1º nome. Paulista de Igarapava que veio para Goiânia na década de 1930 e aqui se tornou um empresário bem sucedido. Hoje o seu maior empreendimento é sua vastidão cultural, com mais de 40 livros escritos, incluindo literatura, folclore, música e arte culinária. Por tantos feitos (e bem-feitos) em vastas áreas da literatura( crônicas, romances, História) e artes mencionadas , nosso querido , magnânimo , sábio e grande romancista Bariani Ortêncio, mais do que merece uma cadeira na casa de Machado de Assis, nossa gloriosa Academia Brasileira de Letras. Está passando da hora de ele vestir o fardão dos imortais, porque por mérito,  ele já se eternizou na memória e coração  dos que lêem e conhecem suas atividades como intelectual e escritor prolífico que é. Eu já o coloco no Panteão dos grandes escritores de Goiás, do Brasil e do mundo. Afinal até o papa Francisco já conhece as suas obras. É pouco coisa ou querem mais? 


João Joaquim 
médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com



UAI !

O QUE SIGNIFICA UAI ?  UAI, UAI É UAI, UAI !

João Joaquim



 Falando de algumas particularidades do Português eu sempre tive algumas rusgas em empregar certas palavras no rigor de suas funções de sintaxe, de regência, de significados conotativos e denotativos etc. O emprego de alguns verbos também sempre me trouxe algumas dificuldades. A tal de transitividade! Tem verbos que nos dão um verdadeiro baile na hora de escrever uma frase, uma ideia. Existe aquele verbo por exemplo que não tem trânsito com ele. Ele se considera intransitivo ou intransigente. Chover por exemplo. Choveu e pronto. Ele não quer saber o que(choveu) e nem para quem. Muito egoísmo. Um outro que já me deu algumas rasteiras é o verbo assistir. Dependendo do contexto ele é igual a ver. Fulano assistiu (viu) o jogo. Como se trata de um verbo altruísta  ele pode também ser igual a socorrer (transitivo indireto). O médico assistiu ao doente. Existem verbos terríveis de feio. Este por exemplo: parte do congresso assaltou os cofres da Petrobras. Assaltar: verbo que expressa uma ação transitiva direta. Se bem que, suas excrescências, vários dos políticos atuais deram uma bitransitividade ao ato de assaltar porque foram ações diretas e indiretas, via doleiros e empresários contratados pelo governo petista. É importante nossos gramáticos ficarem atentos e acrescentar esta noção de assaltar.
 Voltando ao incorruptível que é o nosso idioma português, tido como a última flor do Lácio( Olavo Bilac), continuemos então a discorrer sobre algumas de suas particularidades de difícil domínio. Ele mostra também o quanto é vasto, rico de verbetes, mas que oferece muitos recursos para quem o cultua, o admira, o exercita com prazer e encanto. Uma ocorrência que sempre lamentei, foi a extinção do latim como uma língua formal. Que fosse uma língua não oficial é compreensivo, mas não deveria ter saído dos currículos de ensino. A justificativa maior para fazer parte das grades escolares   é o fato do latim ser a língua mãe, a origem de vários outros idiomas; o Português, o Francês, o Espanhol por exemplo (idiomas neolatinos).
O latim e o grego constituem os idiomas que mais contribuem na formação etimológica das línguas neolatinas, do nosso Português por exemplo. Na minha concepção um dos segredos de entender melhor o Português é saber a etimologia de cada palavra. Isto torna a compreensão dos signos e significados mais fácil. Eu sempre tive uma obsessão por saber de onde vem e o que significa cada vocábulo na sua origem. Para quem não tem esta atração basta experimentar para ver o quanto se torna mais clara a compreensão de cada palavra.
Muitos outros idiomas deram origem ao Português. O tupi-guarani, os idiomas africanos, o italiano e até palavras existem com origem duvidosa, inventivas, folclóricas ou gaiatas. Para quem gosta do tema eu recomendo o livro A Origem Curiosa das Palavras, do jornalista Márcio Bueno.

Para já ir arredondando o tema eu  perpasso sobre a origem da interjeição uai dos mineiros. Primeiro uma pequena anedota sobre tão popular palavrinha. Um historiador da PUC Goiânia foi a Minas Gerais pesquisar o tema. Assim que ele desembarcou no aeroporto da  Pampulha e viu um mineiro foi logo lhe perguntando: afinal o que significa a palavra uai? O mineiro ficou meio meditabundo, pensou, pensou e lascou esta: uai, uai é uai, uai! Tem coisa que não se define, entende-se!
 A verdade real sobre a origem de tão popular interjeição quem  me deu foi o mestre e amigo Bariani Ortêncio. Ei-la : os inconfidentes mineiros para driblar a polícia lusitana ( do Coroa Portuguesa) usavam uma espécie de senha em suas tratativas e quando chegavam nas casas uns dos outros tinham uma comunicação previamente combinada . Eram três toques na porta ou a sigla UAI( união, amor independência). Tal origem foi confirmada por pesquisa encomendada por Juscelino Kubitschek nos anais da arquidiocese de Diamantina( terra natal de JK) e arquivos antigos do estado de MG. O que se tem de certo é que de tão repetida a sigla UAI se tornou a interjeição mais popular dos mineiros e até de brasileiros de outras regiões. É isto aí , uai! Esta explicação foi inclusive noticiada pelo jornal Correio Braziliense , já faz uns bons anos.     


 João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com

PANELAÇO X DILMA

COM TANTA CORRUPÇÃO E TRAPALHADAS, HAJA PANELAS

João Joaquim


O 15 de março 2015 foi mais uma oportunidade que a nação  teve de ver o jeito petista de engambelar o povo brasileiro. Como vimos, as manifestações, previamente combinadas pela sociedade civil, através das  redes sociais da internet foi um sucesso de participantes e de protestos. Foram reclamações justas e legítimas de norte a sul, de leste a oeste, praticamente em todos os Estados e Distrito Federal (Brasília). O interessante desses levantes indignados do povo brasileiro foi que eles  se deram sem nenhuma liderança tipo sindicatos de categorias profissionais ou siglas políticas.
Foram cobranças e reivindicações de cidadãos(ãs) inconformados com um conjunto de crises que vem assolando o país há mais de 12 anos ( tempos do governo petista de Lula da Silva  e Dilma Rousseff ). Os motes ou lemas das queixas têm sido os de sempre desses sombrios e mentirosos anos dos petralhas( ou petistas) no poder: há um não e uma censura da sociedade à  corrupção, aos bilionários desvios e roubos de dinheiro da Petrobras, ao aumento de impostos, à baixa qualidade dos serviços como saúde, educação e segurança pública, enfim à crise econômica e paralisia geral  em que mergulhou o Brasil.
Na verdade a nação vive uma crise de ética, econômica e de credibilidade política, nunca registrada com igual dimensão e duração em toda a sua História. O cálculo das Policias Estaduais é de cerca de dois milhões de pessoas nas passeatas desse 15 de março. Só  em São Paulo capital foram um milhão de protestantes pelas ruas. Ou seja 2 % do Brasil foi para as praças públicas exigir não apenas mudanças imediatas como a renúncia ou impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Findas as passeatas dos brasileiros revoltosos, foi a vez e obrigação do governo de se manifestar. Por que o dever de um governante eleito pelo povo de se manifestar? Considerando ainda que vivemos em um regime representativo democrático. Neste caso qualquer governante é um funcionário público. Este múnus público foi conferido pelo povo via eleições diretas. Então se a sociedade clama por mudanças, necessário se faz que a ora chefa de Estado, a presidente da república venha a público e dê algumas respostas, explicações que pelo menos tragam alguma luz neste túnel de atropelos e trapalhadas que parece não ter fim.
Desta feita, entretanto, nossa desditosa e incoerente presidente foi mais previdente. Fazendo a sua vez, ele escalou dois ministros para falar em seu lugar. Miguel Rosseto, casa civil e José Eduardo Cardozo, justiça. Adivinhem, meus leitores e leitoras quais foram os tons e teores de suas respostas? Foi tudo o mais do mesmo. As mesmas platitudes, as mesmas fabulações, as mesmas pabulagens e vesânias. A oratória dos áulicos governantes do PT encastelados no palácio do planalto se tornou um rosário de lugares-comuns genérico, fácil de mensurar e de antever. Tudo para eles se encerra em termos e frases ou chavões de fraca sonoridade e nenhum convencimento. Ouvir tais discursos e explicações se tornou um momento vazio e destituído de qualquer encanto. Imagine ouvir locuções tipo, democracia é o encontro de ideias contrárias, todos têm o direito de expressão e manifestação, num processo judicial cada um tem o direito a um julgamento justo e ao contraditório, etc, etc. Ou seja é o mais do mesmo reme-reme ou blá blá blá de dar sono mesmo em quem sofre de insônia.
Segundo os dois cortesões petistas tudo com o Brasil vai muito bem e obrigado. O PIB estável (esta é muito boa), a inflação sob controle, os investimentos mantidos, taxas de juros na meta, balança comercial em equilíbrio etc. Quanta Mentira.
Para arrematar cravou o ministro Miguel Rosseto: As manifestações de hoje são de pessoas (eleitores)que não votaram na presidente Dilma.  Com esta sacada do representante do governo eu não dormi, porque fiquei nervoso , mas desliguei o meu televisor.
No dia seguinte às passeatas protestantes, quando todo mundo se encontrava no trabalho, o que fez nossa presidenta ? Ela de modo impostor, ardiloso e  sub-repticiamente deu satisfações ao povo brasileiro. Ou pelos menos tentou de novo nos enganar com o mesmo lero-lero, as mesmas patranhas, pabulagens e trejeitos petistas de governar .   De surdina ela apareceu no parlatório do Planalto e veio com o mesmo reme-reme de sempre, o Brasil vai muito bem, nós vamos tomar atitudes, dialogar com a oposição, enviar um pacote(leis) anti-corrupção  para o congresso. 
 Adivinhem se o povo brasileiro está levando essas intenções a sério. Aliás, de boas intenções  os quintos  do inferno andam cheios. O bom de nossa Constituição e nossas leis é se elas fossem menores e todas cumpridas. Tipo a Carta Magna dos EUA.  Pequena , mas seguida à risca. Aí o Brasil não seria o retrocesso que temos em tudo. Inclusive na arte cavilosa , corrupta e mentirosa de governar  do partido dos trabalhadores.
A presidente esteve em Goiânia  dia 19.03.2105. Ela e comitiva vieram inaugurar o inicio da construção do BRT , parte do PAC que anda empacado. O esquema de segurança ,para evitar mais um panelaço, foi de dar inveja a qualquer ditador e bem menor do que a guarda presencial de Barack Obama.  Tudo para que nossa espevitada e empedernida e arrogante Dilma não ouvisse os sons das panelas velhas do povo goiano.  
Quão tristes tempos estamos vivendo hein !    


 João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com
  

POUCO CÉREBRO E....

MENOS CÉREBRO E MAIS SILICONE  

 João Joaquim


 O Brasil, conforme pesquisa atual, é o 2º país em realização de cirurgias plásticas. O segundo? Será que tal estatística não está equivocada? Confesso que fiquei amolado. Isto porque eu pensava que nesta matéria nós fôssemos também campeões. Mas, vá lá o vice lugar também é honroso, até porque a diferença não foi grandes números.
Dentro do meu encabulamento pus-me a pensar no que leva uma pessoa a trocar ou implantar tantas partes, órgãos , peças ou substâncias no corpo. Alguém  aí, algum leitor ou leitora já teve idêntica preocupação? Aliás, faço esta pergunta  mais para elas, as mulheres, que são as campeãs em tais procedimentos. Mulheres de todo o Brasil, socorrei-me! Dizei-me vós se forem capazes e seguras de suas alegações. O porquê de tantas próteses, tantos botox, tantos silicones, tantas aparas disso e daquilo em vossos corpos. Aliás, até corrijo-me, não só preenchimento, mas esvaziamentos de barriga, de culotes, de braços, de papadas.
Mas, já que vossas senhorias  não me convencem vão aqui algumas hipóteses. Poucas, mas não menos verossímeis. A primeira vem da tese de que somos produtos do criacionismo de Deus. Somos um corpo , arte e um sistema orgânico feitos à imagem e semelhança do arquiteto-mor, o criador do universo e suas milhares de forma de vida. Então mais que de repetente as pessoas ( mais as mulheres) começaram a ficar insatisfeitas com o acabamento. E tudo isto se iniciou com a descoberta do espelho. Digo isto com muita obstinação e pertinácia porque antes do espelho não se têm notícias de tais procedimentos(plásticas e silicones).
E aqui nesta mea-culpa da espelhologia entra também a prática das tatuagens. Atenção, eu disse espelho(speculu)logia, porque na espeleologia , vocês já estariam no buraco, ou melhor, na caverna.  Todavia, é bom que se faça justiça com os precursores da tatuagem. Uma arte , hoje, de emporcalhar o corpo.  Os taitianos já faziam suas pinturas e desenhos corporais antes do invento do espelho, mas só até nos segmentos corporais que alcançasse a visão, braços e pernas por exemplo. Nunca no rosto, dorso ou partes mais pudendas. Esse povo tinha critérios e comedimento em tatuar o corpo. Hoje a pessoa, de tanta tatuagem, fica sem saber qual era a cor primitiva da pele. Diziam alguns tabloides que Michel Jackson conseguiu mudar a cor do corpo inteiro através das tatuagens. De fato antes ele era negro, aí endoidou a mudar de cor que ficou branco. Isto é o que se pode considerar um racismo autólogo ou autopreconceito.
Então o invento do espelho tem sim, muita culpa e participação na invenção e prática das cirurgias plásticas e procedimentos estéticos. Dentro da espelhologia temos que destacar os subprodutos destes instrumentos de se auto-examinar. É de simples explicação, antes havia apenas o espelho plano. Então vieram os espelhos curvos, os de corpo inteiro, os de aumento. Nestes de aumento, justiça e mérito sejam feitos às lupas e lentes de aumento. Nesse estágio então foram que as coisas desandaram. A mulherada, e alguns homens também,  passaram a considerar algumas imperfeições. É uma atrofia aqui outra protuberância nesses e outros lugares, e todos recorrem a alguma recauchutagem para sair melhor na foto .  

Algumas cirurgias essencialmente estéticas, de mudanças de aspectos e contornos corporais deveriam ser pecado. Mas, como não está escrito nos mandamentos bíblicos, tudo passa batido. Eu não duvido que se novas edições das escrituras sagradas fossem feitas pelos primeiros evangelistas, lá estariam algumas cirurgias estéticas como pecado. E refletindo bem estariam cobertos de razão os escribas da Bíblia. Afinal é a criatura, adulterando, falsificando uma arte original de Deus. Faz todo sentido. Seria um pecado de  falsidade ideológica ou estelionato nessa atitude de alterar tantos órgãos e aparências. Pecado inafiançável !
A outra razão do incremento das plásticas advém de outro pecado. Como assim? Da gula ou glutonaria. Explico: a pessoa(mais a mulherada) além do pecado de tanto comer, tem outro pecadinho da modernidade, a preguiça. Glutonaria ou gula  mais sedentarismo resultam em um biótipo obeso e disforme. Excesso de gordura na barriga, na cintura e atrofia de coxas e glúteos. Solução prática o sem esforços? Lipoaspiração e implantes de silicone. Os riscos são uma infecção hospitalar e/ou um espichamento de canela. De quando em vez a imprensa noticia alguém que foi fazer uma lipo e acabou abotoando a blusa ou o paletó . Riscos da vaidade.
Por fim, uma explicação sui generis para tantos preenchimentos quem as me deu foi um neurologista. Ei-la em resumo e finalizo: O corpo humano precisa de um contínuo equilíbrio. Vale para loiras e morenas e alguns homens. O que ocorre nesta que agora se denomina hipermodernidade? Um cérebro pouco exigido e pouco exercitado ou que o exercite , mas com excessos de futilidade, tem a propensão de atrofiar com a redução do córtex  e da massa cinzenta (as mais pensantes e de raciocínio lógico ). Para esses grupos de pessoas, explicou-me o neurologista ,   necessário se faz buscar um equilíbrio corporal. Daí que resulta então a busca frenética e não pensada implantação de substâncias no corpo  para compensar a anatomia e restabelecer o equilíbrio ponderal . Perde-se a massa pensante cerebral  mas ganha-se mais em massa erotizante como bumbum, lábios e seios à La Fafá de Belém!  Para quem demorou a me dar respostas estão aí as razões de tanta cirurgia plástica ou estética, tenham elas ou não algum senso dialético , escalafobético ou  ético. 

          
 João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com    www.jjoaquim.blogspot.com

NÃO ERAM TRÊS MORTOS

QUE ME CORRIJA A POLÍCIA, MAS NÃO  ERAM TRÊS MORTOS

 João Joaquim


 O acidente conforme presenciei dos escombros, não as cenas em si, ocorrera assim: grosso modo, o motorista trafegava pela avenida marginal  em desabalada velocidade a cerca de 160km/h e colidiu com uma árvore. Os três ocupantes do carro,  segundo a Polícia Militar,  tiveram morte súbita. Ou melhor foi mais do que súbita, porque infere-se, pelo impacto, que a subitaneidade dos óbitos se deu em segundos, tal a crueza e severidade do sinistro.
Para dar mais um pouco da visão da tragédia, ou dos rescaldos do evento sinistroso pós mortem havia um carro que não era mais carro porque o antes automóvel estava absoluta e inertemente imoto e perenemente imóvel. Sua deformação se resumia a uma rodilha de ferros retorcidos e mal acabados. Seu aproveitamento poderia ser pensado ,se promovesse ao que lhe restou, na fundição das ferragens no fabrico de uma panela velha. E velha porque tal utensílio culinário seria fruto de matéria não prima mas de segundo uso. A identificação de tal desastrado e mofino veículo só foi possível pelo número do chassis porque a placa do antes automóvel tinha se transformado em migalhas e a numeração tinha se esfarelado pelo asfalto.
De pronto uma guarnição da Polícia Militar chegou no cenário do ocidente. Afinal para que  tanta agilidade? Todos já estavam mortos e nada havia o que fazer. Com as vítimas, bem entendido. Desnecessário dizer, mas eu confirmo que muito antes da Polícia o ajuntamento de pessoas era enorme. Todos se encontravam estupefatos! Não com mais um acidente de trânsito que mata 60.000 por ano mais os mutilados e sequelados. O aturdimento e pasmo dos circunstantes eram com a violência, o impacto e virulência daquela colisão carro-árvore. Os efeitos de compaixão e no coração eram visíveis nos olhos, nos rostos e expressões das pessoas.
Quanto às vítimas. A polícia militar afirma categoricamente que eram em número de três. Os resultados do IML e perícia criminalística foi previsto ser publicado  em 30 dias. O tempo é necessário, afinal trata-se de uma profissão que usa o raciocínio lógico, esmeradas técnicas científicas para se chegar a verdade real, aquela irrefutável, insofismável e que não deixa margens às dúvidas.
Entretanto, eu que estive naquele cenário macabro acabo por me divergir de nossas sempre prestimosas Polícias Civil e Militar. Não foram apenas três vítimas e três mortos. Reafirmo tal dissenso com base no que vi com os meus próprios olhos e com os de dezenas de transeuntes que se detiveram ali antes e durante as diligências dos referidos agentes da lei. Mas, ainda haverá a pronúncia final do IML e Polícia Científica. Eu, de mim para mim e para quem me lê , continuo recalcitrante, não eram três os mortos.
Por fim eu não posso me furtar a um resultado que também me despertou alguma condolência. Falo dos destroços vegetais da árvore, partícipe, mas não culpada daqueles danos humanos e materiais. Eu não sei que nome dar àquela espécie vegetal. Posso afirmar que, pelos restos, era um vegetal com plena vitalidade, certamente de porte médio, próximo de uns 10 metros de altura e copa frondosa. O tronco sofrera várias fraturas. Havia muitas folhas verdes e flores desabrochadas e em botões espalhados pelo chão. Todas ainda com as cores e viço da primavera. Digno também de registro era a fauna que se abrigava e vivia em simbiose com aquele agora sinistrado ser vegetal. Na verdade ali vivia de forma pacífica e muito operosa um mini ecossistema com insetos multicoloridos como vespas, formigas, besouros e joaninhas. Não perdendo de consideração que a copa do imponente vegetal era a casa de pasto e pousada de uma admirável  diversidade passeriforme. Todos esses registros e comunicados ficam aqui consignados não por uma aposta ou ilação achadiça deste tacanho e modesto escriba, mas por testemunhos verídicos  dos passantes,  de moradores da  vizinhança que ouviram e viram aquela  indigitada e funesta ocorrência. Nos frangalhos botânicos, no asfalto estirados, eram notórios a diversidade cadavérica de muitas vidas e convivas   daquela espécie verde. Em meio a essa carnificina microbiótica , notavam-se mutilados, sequelados e muitos insetos em pânico. Eu não entendo a linguagem dos insetos como o fazia Gulliver com os Houyhnhnms(cavalinhos falantes) , mas suponho que o grito de dor e medo daqueles bichinhos eram de despertar muito dó e compaixão.
Por isso e em nome da natureza,  em respeito e memória de outras vidas, do reino animal como um todo, e acima de tudo da botânica e do reino vegetal eu me arvoro e me animo a fazer esses reparos. De pronto e incontinenti faço desse relato um ofício às nossas Polícias Militar e Civil . O número de vítimas nesse ominoso acidente não era de apenas três humanos! Necessário e justo que se corrija a estatística (ou estadística) de também um morto vegetal e dezenas de outros micro e pequenos mortos que ali conviviam de forma pacífica, produtiva e muito ordeira.  

       
João Joaquim  - médico e articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com

UM VOO SUICIDA 150 MORTOS

VOANDO OU DE PERTO TODOS OS PILOTOS PARECEM NORMAIS
 João Joaquim


 O mundo todo vem se perguntando sobre a tragédia com o avião da Germanwings( ligada a Lufthansa)  que se espatifou nos Alpes Franceses em 24/03/15. Foram 150 mortos. Estremece-nos a causa do acidente. Segundo as autoridades que apuram a ocorrência, o copiloto, que se encontrava sozinho na cabine teve um surto suicida, baixou a avião para que este se chocasse nas montanhas geladas dos Alpes. O piloto tinha se ausentado para ir ao banheiro. Que fatalidade, justamente num momento  de um imperativo fisiológico como este imprevisto do comandante titular (urgência gastrointestinal).
 Como medida de segurança contra ação terrorista, essa porta de acesso à cabine de comando das aeronaves abre sob o controle  de uma senha de 4 dígitos. Digita-se o código, tem-se 5 segundos para puxar a porta, abrir  e ela se fechar novamente, ficando não responsiva  por vários segundos. Assim ocorreu nessa fatídica viagem: o piloto estava fora do comando do avião, o copiloto ficou a sós e responsável no controle do voo, quando num surto suicida fez com que houvesse perda de altitude e a aeronave se chocasse nas cordilheiras alpinas  da França.
Tragédia é tragédia e o que se pode tirar dela é alguma conduta ou estratégia para evitar outras de igual natureza ou causa. Eu penso que esta será mais uma para questionamentos, perguntas de como, do porquê  que ela se repetiu. As próprias autoridades aeronáuticas já fizeram uma retrospectiva estatística de outras tragédias aéreas por causa de surtos suicidas de pilotos. O que fazer para evitar a próxima? Há um princípio ou axioma que preconiza: “Quem não conhece bem a história está fadado a repeti-la”. Parece que é o que se passa  com os órgãos e autoridades da aviação civil no presente episódio. Dada a magnitude e crueza desse desastre com o voo da Germanwings nos Alpes Franceses, as agências reguladoras da Alemanha e outros países europeus já tomaram uma primeira medida. De ora avante, todo voo tem que ter na cabine de comando 2 pessoas. Piloto mais copiloto. Supõe-se que necessariamente haverá no mínimo 2 copilotos na tripulação . Desses três comandantes, vez ou outra um deles terá uma imprevisível urgência fisiológica gastrointestinal, como no presente caso. Urgência evacuatória não tem hora para ocorrer. Uma outra saída mais simples e barata seria piloto e copiloto usarem fraldas. Assim, numa premência intestinal faz-se a necessidade  na fralda e ninguém perceberá .
As autoridades da aviação civil europeia estão chamando essa medida preventiva de princípio dos 4 olhos no comando do avião. Seria o cúmulo do azar pensar em dois suicidas  numa tripulação de 5 ou 6 pessoas. Outra questão que trago à baila são as informações que nos chegam  sobre a sanidade mental do copiloto, Andreas Lubitz . Segundo consta, ele padecia de depressão, já tinha expressado ideias suicidas e tinha omitido ou rasgado atestado médico de sua inaptidão para a função. Seu histórico psiquiátrico era de longa data, como o atestam uma ex-namorada e prontuário clínico apreendido em sua residência .
Sabemos que tais doenças  # depressão, transtorno de ansiedade, transtorno bipolar, esquizofrenia, tendência suicida#  são enfermidades  que geram um grande estigma social, discriminação e muita rejeição ,seja no ambiente familiar ou funcional. Disto resulta casos de omissão pelo paciente ou mesmo familiares.
Sabe-se que no âmbito médico existe o chamado sigilo ou confidencialidade profissional. Aqui no Brasil é assim,  o que expressam os normativos e código de ética médica?  O paciente tem o direito ao sigilo ou resguardo do seu diagnóstico. Nenhuma empresa ou patrão tem o direito de saber o diagnóstico expresso nominalmente ou em  código internacional de doença (CID) do funcionário. Se ela assim o fizer, está cometendo uma infração ética e legal contra aquele empregado. E atenção: tais garantias individuais ao sigilo do seu estado de saúde é quebrado diariamente , por médicos que são co-autores dessas infrações ético-legais, de forma intencional (dolosa) ou por  desconhecimento de decisão já antiga do Conselho Federal de Medicina.
Todavia, nas atividades profissionais de risco, caso por exemplo de motoristas, operadores de máquina pesada, policiais, piloto e mesmo o médicos; deveria haver uma exceção. Numa avaliação pré-admissional( medicina do trabalho) ou periódica desses profissionais, que fosse lícito e medida compulsória  o médico atestador  comunicar diretamente à empresa sobre a incapacidade e proibição daquele funcionário de  exercer a sua atividade. Se assim tivesse sido feito, essa tragédia inominável com o voo Germanwings teria sido evitado. Quantas vidas e danos materiais se pouparia com um simples comunicado à direção dessa empresa de aviação sobre o veto desse copiloto em estar na direção de uma aeronave desse porte  .
Deixo portanto, essa sugestão ao nosso Conselho Federal de Medicina. Dessa forma poderemos evitar muitas outras tragédias por doenças psiquiátricas tão encontradiças, aqui, na Alemanha e no mundo! Nossos gestores e guardiões da profissão médica aqui no Brasil poderiam ser os primeiros com uma medida tão simples, mas altamente salutar na prevenção de tragédias tão impactantes para muitas familias e a sociedade.   


   
    #JoãoJoaquim médico articulista do DM joaomedicina.ufg@gmail.com  www.jjoaquim.blogspot.com