sexta-feira, 27 de setembro de 2013

SINDROME DE ESTOCOLMO ....



         Epidemia da Síndrome de Estocolmo

                                                                                  João Joaquim de Oliveira 

 Os ditados populares têm muito de engenhoso e demonstram o quanto o povo, as pessoas anônimas, mesmo não escoladas são inteligentes e criativas. Eu inicio esta matéria com dois provérbios populares. Ei-los: (1)diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és. (2)Quem dorme com o diabo cria chifres. É aqui eu pego o espírito, ou melhor a moral desse  de que dorme com o gênio do mal e herda-lhe um atributo físico, que em última análise simboliza a própria maldade (um signo metonímico da parte pelo todo).
A biopsicologia na sua parte de estudo comportamental estuda as relações ou influência das circunstâncias sobre o indivíduo. Noutros termos o quanto o convívio pode ser marcante na conduta, nas atitudes de uma pessoa a partir desse novo contato, dessa nova interação social ou circunstancial.
É próprio e inerente do ser humano o fenômeno da síndrome de adaptação. Significa nada mais do que o indivíduo se ajustar, harmonizar ou sintonizar com o modo ou princípios de alguém num convívio próximo ou íntimo, ou em  condições adversas ou favoráveis , numa relação mais lógica .  No mundo, mas falo mais seletivamente no Brasil,  temos vivido vários exemplos da síndrome de adaptação. Trata-se de  um tipo comportamental de que os governantes tiram muita vantagem, notadamente aqueles políticos com ideologia ditatorial, populista e demagógica.
O individuo se adaptar ou acomodar com algo novo e melhor é fácil de compreender e aceitar. Quem por exemplo não se sente bem e feliz com uma promoção funcional, com um reajuste salarial, com a prestação de um serviço público de qualidade etc? Não exige nenhum sofrimento, stress ou sacrifício. Basta acontecer e de pronto a pessoa se adapta ao novo estado. No outro extremo, a psicologia também bem o descreve, o  individuo é propenso não só a adaptar ou acomodar ao ruim, ao nocivo, ao antiético, ao imoral e ilegal; mas a passar a estas práticas por incitamento, ameaça ou mesmo identificação com este novo ordenamento, esta nova circunstância.
 O Brasil tem sido um campo de comprovação deste fenômeno da síndrome da adaptação ( ou acomodação). A corrupção é epidêmica e sem punição?  Então vamos todos roubar que vale a pena; a saúde pública sempre foi ruim então vamos aceitar que não tem jeito mesmo; o trânsito sempre matou muito, então fazer o quê? A educação no Brasil esteve sempre entre as piores do mundo, então reclamar para quê?
Para quem ainda não ouviu falar da síndrome de Estocolmo eu conto-a resumida. Estocolmo ( Suécia )agosto /1973. Dois sequestradores invadem um banco e fazem de reféns quatro pessoas. A policia entra  em ação; são  longos dias de negociação. Os quatro reféns  são o trunfo dos bandidos. São usados como escudo. A principio por ameaça e coerção, mas com o passar do tempo os  reféns criam uma ligação afetiva com os meliantes. De forma voluntária e muito simpatizante eles(reféns) iniciam um negociação até mesmo com o primeiro ministro em prol dos criminosos. Findo o sequestro, os criminosos são presos e condenados, os reféns  são libertados incólumes. Mas, eis que para perplexidade do mundo, não só duas jovens(reféns ), outras pessoas criam simpatia e admiração pelos ladrões em cumprimento de pena. As famílias dos ex- reféns  e criminosos se tornam afetivas e amigas. Uma refém, Kristin Enmark, explicou isso em uma inesperada entrevista telefônica: "Não tenho o mínimo medo de Clark e do outro cara( os bandidos). Tenho medo da polícia. Vocês entendem? Acreditem ou não, mas passamos bons momentos aqui".
Não é raro a mídia noticiar adolescentes e jovens sendo recrutados e aliciados para o crime. Trata-se de um fetichismo ou glamourização que produzem os criminosos audazes e inteligentes como foi o famoso AL Capone da máfia italiana. Precisamos estar alertas, sobretudo os segmentos organizados, lúcidos e honrados de nosso país. Volta e meio a síndrome de Estocolmo nos ataca e nossos governantes gostam! São mais impostos, mais doenças públicas, mais estradas esburacadas, mais insegurança pública, mais indecência em tudo e vamos acostumando, adaptando a tudo o que  é ruim  num fenômeno símile à síndrome de Estocolmo.
“Incrível é que, após mais de cem anos, ainda nos encontremos tão desamparados, inertes, e submetidos aos caprichos da ruína moral dos poderes governantes, que vampirizam o erário, aniquilam as instituições, e deixam aos cidadãos os ossos roídos e o direito ao silêncio : porque a palavra, há muito se tornou inútil… - até quando?..”. Maiakovski. Teoria Do Caos
 Por falar nisso aonde andam as manifestações de nossos jovens e trabalhadores de junho/2013? Por um Brasil com hospitais padrão FIFA, transporte público de qualidade e menos corrupção.

     

João Joaquim de Oliveira  médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com

domingo, 22 de setembro de 2013

SALVE-SE PELA BOCA


     O HOMEM SALVA-SE PELA BOCA 


                                                                                        João Joaquim de Oliveira  



Atualmente com o crescimento das doenças relacionadas ao chamado estilo de vida, tem crescido também não só o arsenal de medicamentos convencionais, como também a chamada medicina alternativa. Entenda-se aqui aquelas práticas terapêuticas não alopáticas. São medicamentos fitoterápicos (plantas) e outras modalidades não tradicionais os meios terapêuticos empregados nessa chamada medicina alternativa. Outros recursos adjuvantes na prevenção e combate a muitas doenças cardiovasculares e endócrino-metabólicas tem sido a prescrição, ou contra indicação de diversos alimentos.
Conceituamos estilo de vida em medicina como a maneira de se viver, os hábitos de se alimentar, de libações alcoólicas ou não, o vício do tabagismo e outras drogas, e a prática ou não de alguma atividade física. O estilo de vida será determinante na qualidade e quantidade de vida do indivíduo. Ou seja, é desse modo de se viver que surgirão os temíveis fatores de risco (FR) para diversas doenças  gerais ou cardiovasculares de elevada morbidade, seqüelas físicas e maior  mortalidade.
Para ilustrar melhor vamos imaginar uma pessoa de 40 anos, sedentária, com sobrepeso de 20 kg,  com hipertensão  arterial leve (15/10), tabagista e colesterol de 250 mg/dL. Trata-se neste exemplo de uma pessoa de estilo de vida insalubre com 5 FR. A não correção desse estilo de vida trará a essa pessoa riscos significativamente aumentados de doenças renal crônica, diabetes tipo II, doença cardíaca, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Atentem bem que são condições mórbidas de elevado risco, estritamente relacionadas aos hábitos e comportamento ( estilo de vida). A correção ou anulação desses fatores se faz como? Com mudança de atitudes e hábito alimentar saudável, abstenção do vício do álcool e cigarro e atividade física regular. Sem o uso de nenhum medicamento, a custo zero.
 Tem sido muito difundo e até moda o emprego de muitos alimentos com a crença ou informação dos efeitos terapêuticos desses alimentos, frutas e vegetais. Para o bem-estar e felicidade de todos vamos ao que se tem de mito e verdade ao que se divulga por aí.
 A maioria dos alimentos mais populares tipo alho, cebola, none, berinjela, limão  não têm efeito de baixar colesterol ou pressão alta ou açúcar (glicose) no sangue. Trata-se apenas de alimentos saudáveis como nutrientes e fontes de vitaminas e minerais. A grande maioria dos alimentos, frutas, ervas e muitos vegetais da medicina popular, não tem nenhum poder terapêutico como acreditam as pessoas, e propagam os seus mercadores. A comprovação do efeito terapêutico das substâncias presentes em  alimentos e plantas se dá mediante ensaios clínicos bem conduzidos, dentro de critérios científicos e normas éticas bem estabelecidas. Entre estes exige-se número significativo de participantes (pacientes) e tempo longo de observação e controle. Isto nem sempre se dá com alguns estudos de muitos desses vegetais e fitoterápicos.

Para concluir eu ressalto que o conjunto de atitudes saudáveis (estilo de vida) é que fará a diferença em ter melhor qualidade de vida e longevidade com saúde. E mais, desde que isto seja feito a vida toda e não depois que surgiram os chamados fatores de risco e suas complicações. Após um infarto do miocárdio, AVC ou doença renal crônica, o que se pode fazer é minimizar as suas seqüelas.
Finalizo com três exemplos de hábitos para a saúde. O vinho faz bem ao coração? Sim. Desde que ingerido em doses leves de forma continuada como é cultural em algumas regiões da Itália e frança. Os óleos de peixe ômega 3 e 6 têm efeitos terapêuticos? Sim! Desde que ingeridos a vida toda como fazem os esquimós do Alaska. Por que as pessoas caucasianas (Rússia) vivem saudáveis por mais de 100 anos? Porque elas têm a cultura de um estilo de vida saudável continuado , vivem em harmonia com a natureza, se alimentam sem agrotóxicos, se movimentam a vida inteira , são felizes com o pouco que têm, e não sofrem com o estresse massacrante das tecnologias eletro-eletrônicas e digitais.
Quer viver mais e melhor ? Dê mais ouvidos à natureza; alimente-se o suficiente para ter boa saúde; faça exercícios físicos sempre; seja menos ambicioso e mais feliz com o que conquistou  até aqui; ame mais as pessoas e as coisas belas à sua volta; assim terá vida de qualidade, longa e morrerá feliz.     




    João Joaquim de Oliveira  médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com


sábado, 21 de setembro de 2013

SUJÕES E PORCALHÕES- OLHA A LEI AÍ.....

    FINALMENTE UMA LEI PARA SUJÕES E PORCALHÕES

                            
                                                                                 João Joaquim de Oliveira 



 Recentemente (julho/2013), uma notícia alvissareira e digna de loas veio do município do Rio de Janeiro. Um governo que vem sendo dura e violentamente criticado, finalmente aprova uma lei que pode mudar costumes e hábitos tão antigos, responsáveis pela feiura, emporcalhamento e degradação da paisagem urbana e meio natural. Trata-se da  Lei de Limpeza Urbana nº 3273, de 2011, mas que até agora não tinha sido aplicada.
 A distribuição da multa funcionará assim: para resíduos menores que uma lata de cerveja, a multa é de 157 reais. Até um metro cúbico, 392 reais e acima de um metrô cúbico, como um sofá de 3 lugares, a infração custará ao infrator 980 reais. Volumes maiores, como depósito de entulho, a multa é de 3 mil reais.
Trata-se, portanto, de lei que proíbe jogar lixo em vias públicas ou a céu aberto. Quem infringir a lei será multado. Não importa o volume do lixo. Nossas palmas e aplausos para o prefeito Eduardo Paes, pela iniciativa. Tomara que outros governos, de todas as esferas públicas, sigam o seu exemplo. Mas não só os gestores dos bens públicos desse país; que as pessoas entendam que limpeza e higiene são tão importantes em saúde que estão até a merecer e exigir dispositivo legal, que se descumprido será punido com multa na proporção de cada infração.
Aliás, a palavra higiene tem origem na mitologia grega hygeia, deusa da saúde e bem-estar. O vocábulo grego hygieinón, significa literalmente saúde, o que contribui para a higidez do indivíduo. Hoje, a higiene que engloba técnicas de assepsia e esterilização pode ser considerada um ramo importante da medicina.
Há três atitudes ou expedientes muito correlacionados que têm muito a ver com saúde orgânica e psíquica da pessoa humana. Falo da tríade limpeza, higiene e organização(LHO). Observem como estes atributos são inseparáveis. Quase sempre uma pessoa limpa e higiênica, ela o é também em organização e vice-versa. Pode observar que estas atitudes têm liames com o bem-estar e felicidade. Organização, higiene, estética e beleza trazem felicidade! Por que não ? Pessoas que materializam estas atitudes, que põem em prática tais expedientes, elas estão nada mais do que expressando e exprimindo o que elas têm em sua intimidade, em sua alma , em seus valores internos como um ser sensível , esteta e feliz. È a beleza interior sendo plasmada no que se faz e pratica.
Mas, fazendo uma reflexão sobre estes hábitos do ser humano. O que leva um indivíduo a não adotar a tríade LHO em seu “modus vivendi”? Eu pessoalmente concebo isto como fruto de educação. É puro aprendizado, uma cultura recebida de infância, salvo, casos de desvios de comportamento nas relações sociais e com o meio à sua volta, com o meio urbano, com a natureza.
A exemplo de tanta cultura e conduta de vida, a criança não nasce porcalhona, sujismunda por transmissão genética. Isto não existe comprovado no comportamento e índole no gênero humano. Ela incorpora tais atitudes da família, de cuidadores, da escola, das pessoas com que tem laços sócio-afetivos.

Outra característica dos porcalhões e sujões é que não há relação com o nível socioeconômico. Noutros termos, pode-se ver um  indivíduo pobre e de baixa escolaridade muito zeloso com sua higiene pessoal e natureza, e noutro extremo um rico, de boa escolaridade técnica (diferente de cultura) e completamente negligente com a higiene corporal e meio ambiente.
Portanto, retomando os termos inicias desta matéria, já era tempo de uma lei como esta criada pelo governo  municipal do Rio de Janeiro. Leis e normas de postura são criadas para delinquentes, poluidores, sujismundos e transgressores  do bom visual, paz social e higiene urbana.
Por isso esperamos que outros estados e municípios sigam o exemplo da administração da cidade maravilhosa. Parabéns à administração de Eduardo Paes,  por tão promissora e inaudita iniciativa. Para aqueles que acham que as vias públicas são o quintal de suas casas, autuação e multa para eles. Aos que depredam a natureza, contaminam o solo e outras transgressões ao meio natural;  estes mereciam além de reparo dos danos, ficar  na cadeia alguns meses e receber lições de como bem relacionar com a sociedade onde estejam inseridos e aprender a respeitar a terra e as cidades que é um espaço de todos , e não casa da sogra ou da mãe-joana. 




  João Joaquim de Oliveira  médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

PAR(PRA)-LAMENTO DA NAÇÃO



Pra( ou par)  Lamento da Nação

                                                                                  João Joaquim de Oliveira 



Cada país tem uma composição política própria. Tudo vai depender do regime político, da forma de governo, tamanho da nação etc. Alguns são por exemplo unicamerais. O Brasil  é bicameral;  Senado e câmara dos deputados. O que soa exótico é o número de parlamentares. São 513 deputados e 81 senadores ( 3 por Estado+ o distrito federal).
A função dessa  pletora de representantes, basta lembrar,  câmara de deputados: representar o interesse do povo, elaborar projetos de lei e aprovar estas leis, endossar projetos administrativos do presidente, fiscalizar os atos do governo etc.
OS Senadores são escolhidos pelos eleitores dos Estados. Função: fiscalizar atos do presidente, defender os interesses dos estados de origem perante o executivo( governo federal), sabatinar e aprovar ministros de órgãos da união como STF, TCU, STJ, presidente do banco central, entre outras funções.
A câmara ou   assembleia legislativa, o nome já o designa( legislar), tem ( ou deveria ter) um papel capital, de proeminência. Seu foco máximo, legislativo, significa o quê? Elaboração e aprovação de leis. Nossa constituição por exemplo (de 1988),  foi redigida pela assembleia constituinte, criada especificamente para este fim e sob a presidência e tirocínio de um ícone de ética e probidade política, o falecido e saudoso Ulisses Guimarães. Falando de ética em uma entrevista naqueles idos de 1988, disse ele: um político 99% honesto é 100% desonesto.  Como na vida em geral  ou se é todo honesto ou não.
Não existe ética fracionada  . Embora me considero político (animal político, todos somos na concepção de Aristóteles), não sou engajado, nem tenho preferência por nenhum partido. Há muito penso que não deveria haver partido político. Aliás,  a palavra partido , particípio  de partir,  já sugere algo escuso em política: fragmentado, quebrado, facção, dividido entre partes e assim por diante.
No Brasil, como alhures, mas, muito mais em nossa pindorama, partido político me lembra quadrilha ou facção. É como se chama um grupo de pessoas, com atividades ilícitas ou ilegais de forma permanente. Assim e por esta forma de associação foram condenados os membros do mensalão na ação penal 470 (AP 470) pelo nosso colendo STF. Formação de quadrilha  foi um dos crimes do grupo. Eles formaram um como que partido do mensalão ,  um conluio a fim de  perpetrar vários feitos ilegais como lavagem de dinheiro, improbidade administrativa, peculato e outros pecados cabeludos contra a administração pública.

 Partidos políticos deveriam ser extintos. Seria muito mais democrático e sem formação desses grupelhos ou facções para brigarem  entre si. É o que vemos no congresso. Divisão e brigas internas. Daí as facções, partido do presidente, partidos da oposição e base aliada, direita, e esquerda etc. É muito dissenso e confusão com poucos resultados positivos para a nação , para o povo.
Na verdade os partidos de hoje se tornaram um compadrio, representantes do interesse de grupos. Dos latifundiários, dos empresários, dos ruralistas e por aí vai. Nessas bancadas ou grupos de parlamentares que representam, interesses de grupos é que podemos ver como é o código de postura dos eleitos pelo povo. A “boa ética”, permita-me assim chamá-la , esta tem sido ferida de morte. Foi com o que a nação ficou pasma, estupefata e aturdida numa manhã de 29 de  julho/2013. O placar:  233 deputados se manifestaram a favor da cassação, mas para isso eram necessários pelo menos 257 votos. Outros 131 deputados votaram pela manutenção do mandato de Donadon e 41 se abstiveram  O deputado-presidiário, Natan Donadon( sem partido RO), condenado a 13 anos em regime fechado pelo STF, foi absolvido pelos seus pares no escuro a calada da noite na assembleia” legislativa”.
Resumo desta ópera:  Para mim todos os 131 deputados que votaram pró-Donadon e os que abstiveram de votar são exatamente iguais a ele.  Os eleitores que elegem estes larápios do dinheiro público idem. São eleitores que se pudessem estariam no lugar deles, roubando tudo que pode, inclusive dinhero público.
Felizmente e a tempo: o STF ,via liminar ,suspendeu a sessão que mantinha o mandato do parlamentar-preso .O mérito da liminar ainda será julgado pelo pleno do STF.
Foi sem dúvida o sepultamento do decoro e da ética na política brasileira. Entoemos as exéquias nos funerais da ética na assembleia legislativa. “Podemos servos, debaixo da morte/nênias tristes da pátria entoar” -  Gonçalves dias.             



João Joaquim de Oliveira  médico- cronista DM  joaomedicina.ufg@gmail.com